São Luís deixou de receber R$ 25 milhões para pavimentação na gestão Edivaldo, diz deputado

A capital São Luís deixou de receber em 2020, último ano da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, R$ 25 milhões em recursos federais destinados para pavimentação de vias de diversos bairros do maior município do Maranhão.

A revelação foi feita, esta semana, pelo deputado estadual Neto Evangelista (DEM), durante entrevista ao programa Ponto Continuando, apresentando pelos jornalistas Clodoaldo Corrêa, Glaucio Ericeira e Rogério Silva na Rádio Educadora AM 560.

Evangelista explicou que conseguiu viabilizar os recursos junto a bancada dos Democratas no Congresso Nacional e que o convênio seria executado através da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

“Colocando meu mandato à disposição e com a relação que nós temos em Brasília, no início do ano de 2020 nós viabilizamos, pelo Democratas, algo em torno de 25 milhões de pavimentação asfáltica para São Luís, execução direta da Codevasf, que não aconteceu por que o ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior não autorizou, não assinou o documento para que o asfalto pudesse acontecer. Tentamos, tentamos muito, várias pessoas fizeram o diálogo, mas ele não quis assinar e não justificou o porquê de não querer assinar e São Luís perdeu estes 25 milhões de asfalto”, afirmou o parlamentar, que concorreu ao cargo de prefeito, tendo ficado na terceira colocação.

“Estamos novamente, em Brasília, com o apoio do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, buscando novos recursos e tenho certeza que obteremos êxito. Desta vez será diferente por que o prefeito Braide não é de se esconder”, completou o democrata.

A informação prestada por Neto Evangelista só ratifica o perfil birrento e de imaturidade política de Edivaldo.

Na sua sucessão, apesar de pertencer a um grupo político forte e que foi responsável por sua reeleição, em 2016, Edivaldo preferiu esconder-se, não publicizando seu apoio a nenhum candidato.

Tal posicionamento fez com que ele caísse em desgraça com várias lideranças, dentre elas o governador Flávio Dino que, aos mais próximos, afirma “não querer nem saber do ex-prefeito”.

Edivaldo Júnior deixou o PDT no mês passado. Apesar de não tratar publicamente, tenta encontrar um novo endereço partidário que dê sustentação ao seu projeto de concorrer ao Governo do Estado, em 2022.

O objetivo, de acordo com o que foi apurado, seria manter-se politicamente em evidência já mirando no pleito municipal de 2024, quando pretende disputar novamente o cargo de prefeito de São Luís.

O editor do Blog deixa aberto o espaço para que o ex-prefeito, caso assim deseje, possa se manifestar acerca das informações prestadas pelo deputado estadual.

Do Glaucio Ericeira

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *