Justiça manda Beto das Vilas voltar ao comando da presidência da Câmara

Decisão da Justiça pôs fim, na noite desta segunda-feira (21), a novela “programada” para prejudicar o presidente da Câmara, Beto das Vilas (Republicanos), que teve sua vida e de sua família revirada, um dia após a convenção histórica no bairro Laranjal, que homologou pela primeira vez, um ex-borracheiro e ex-tirador de sururu como candidato a prefeito da terceira maior cidade do Maranhão.

“O que fizeram com a mãe de Beto foi uma verdadeira canalhice. Uma senhora de quase 100 anos ser submetida a isso por interesses dos adversários de Beto. Mas vamos dar o troco de forma democrática, mostrando que o povo tá com Beto.” Disse seu Raimundo, morador do bairro Laranjal.

Na decisão do desembargador, foram afastadas as medidas cautelares que proibiam o acesso do pré-candidato a Câmara de Vereadores e a suspensão do cargo de presidente.

“Fizeram tudo isso porque pela primeira vez na história de nossa cidade, um homem simples poderá governar Ribamar para o povo. De modo pensado, foi montado tudo isso para me prejudicar, mas o povo ficou ao nosso lado e Deus mais um vez provou que estamos no caminho certo.” Disse Beto das Vilas ao receber a decisão da Justiça que o devolve ao comando da Câmara.

Com a reviravolta, Beto recebe a autenticidade da Justiça de que sempre fez a coisa certa e por este motivo volta a comandar o Parlamento Ribamarense.

Vestido da posse

Vereadora há quase 30 anos, Marlene Monroe é a vice-presidente da mesa diretora e já havia mandado separar o vestido da posse, programada para acontecer nesta terça-feira (22).

Na Câmara, a vereadora que tem força de indicação de servidores comissionados na prefeitura, entre elas sua filha, que já foi a responsável pela Folha de Pagamento da Prefeitura, já programava uma mudança geral no quadro de servidores do Poder Legislativo.

Com a decisão da Justiça, Marlene deverá guardar as vestes para outra ocasião, quem sabe, para a posse de Beto como prefeito no dia 01 de janeiro.

Confira a decisão aqui

Eleitores de Wellington do Curso migram para Braide, Neto Evangelista e outros

Fazendo uma analise das duas pesquisas Ibope, outro dado curioso é a migração dos votos do deputado Wellington do Curso.

Numa analise fria, nota-se que Eduardo Braide e Neto Evangelista foram os que mais cresceram entre agosto e setembro.

Considerando que na primeira pesquisa Ibope, Wellington aparecia em terceiro lugar com 9% e ainda tinha a pré-candidata Detinha, que aparecia com 2%; os números animaram principalmente Braide e Neto Evangelista, que se continuarem nesse ritmo de crescimento, devem disputar a eleição no segundo da capital.

A nova pesquisa, que excluiu os nomes de WC e Detinha, mostram o seguinte crescimento, que pode representar uma migração de votos, ou crescimento natural.

Eduardo Braide cresceu 4 pontos; Neto Evangelista subiu 2;  Adriano Sarney, Rubens Junior, Madeira e Duarte cresceram apenas 1 ponto e ; Bira do Pindaré, Jeisael e Dr. Yglésio permaneceram estagnados; A intenção de votos em branco também subiu 1  ponto e os entrevistados que afirmaram não saber ou não quiseram responder subiu 2 pontos.

Confira os dados completos das duas pesquisas analisadas  aqui e aqui.

Detinha não transfere intenção de votos para Duarte, é o que aponta pesquisa Ibope

Uma comparação entre a pesquisa Ibope divulgada no início de agosto e o resultado da nova pesquisa do Instituto divulgado nesta segunda-feira (21), revela um dado curioso e decepcionante para Duarte e Josimar.

Mesmo com toda a estrutura audaciosa do depurado Josimar de Maranhãozinho (PL), que retirou a esposa Detinha da pré-campanha e fechou com Duarte Júnior (Republicanos), indicando a sobrinha como vice-prefeita, o resultado ainda não foi o esperado.

De acordo com o mais recente levantamento, Duarte cresceu apenas 1% em relação a pesquisa feita no início de agosto.

Se considerarmos a intenção de votos de Wellington do Curso, que em agosto representava o terceiro  lugar com 9%, e que teoricamente ficou solto, uma vez que WC ainda não anunciou apoio em São Luís, e os 2% da esposa de Josimar, o crescimento de Duarte foi uma decepção.

Agora, é esperar o inicio da campanha eleitoral, que começará no domingo (27), para ver o potencial de crescimento do ex-presidente do Procon, com a mídia liberada.

Confira os dados completos da pesquisa Ibope de agosto aqui, e a de setembro aqui.

Duarte e Neto Evangelista seguem tecnicamente empatados, aponta Ibope

O resultado da pesquisa Ibope/TV Mirante divulgada nesta segunda-feira (21), mostrou que Eduardo Braide segue liderando a disputa pela Prefeitura de São Luís, com 43% das intenções de votos.

Em segundo, com a saída de Wellington do Curso, rifado por Roberto Rocha, aparecem tecnicamente empatados os deputados Duarte Junior e Neto Evangelista, com 14% e 10% respectivamente.

Bira do Pindaré está com 5%. Adriano Sarney, com 4%. Carlos Madeira, Jeisael Marx e Rubens Júnior aparecem com 2% das intenções de votos. Franklin Douglas e Dr. Yglésio com 1% cada. Ao todo, 8% declararam voto branco ou nulo. Outros 8% não souberam responder.

Foram ouvidas 602 pessoas entre os dias 12 e 14 de setembro deste ano. O registro na Justiça Eleitoral foi feito sob o número MA-01425/2020. A margem de erro é de 4 pontos percentuais, para mais ou para menos, e o intervalo de confiança é de 95%.

68,2% reprovam a gestão de Eudes Sampaio em São José de Ribamar

Levantamento feito pelo Instituto Datailha entre os dias 12 e 14 de setembro, revelou que 68,2% dos ribamarenses reprovam a forma como o atual prefeito de São José de Ribamar, Eudes Sampaio (PTB), vem administrando a cidade. Ainda segundo dados da pesquisa, 28,2% disseram aprovar a forma como Sampaio está gerindo o município e 3,6% não souberam ou não quiseram responder.

O levantamento, que também apurou a intenção de votos e constatou vitória fácil do médico Dr. Julinho, se as eleições fossem hoje, também quis saber em quem o eleitor ribamarense não votaria de jeito nenhum.

Neste quesito, Eudes Sampaio mais uma vez foi o nome mais rejeitado entre os eleitores ribamarenses.

48,8% dos entrevistados disseram que não votariam em Eudes Sampaio de jeito nenhum.

Jota Pinto aparece em segundo com 18,9% de rejeição, seguido por Beto das Vilas com 14,3% e bem distante com as menores rejeições entre o eleitorado, aparecem o médico Dr. Julinho com apenas 13,5% de rejeição e o advogado Edson Junior, com apenas 4,5%.

A pesquisa foi contratada pelo Jornal Extra, está registrada no TSE sob o número MA-08581/2020, ouviu 490 eleitores entre os dias 12 e 14 de setembro, tem margem de erro de 4% para mais ou para menos e taxa de confiança de 95%.

IDEB de Codó sobe de 172º lugar para 55º durante a gestão do prefeito Francisco Nagib

O município de Codó-MA deu um grande salto no ranking do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB 2019) Redes Municipais do Maranhão – Anos Iniciais do EF (1° ao 5° ano). Nos quatro anos do governo do prefeito Francisco Nagib Codó passou da 172ª posição para o 55º lugar, evoluindo mais de cem pontos no referido ranking.

Bastante feliz com a evolução e com o resultado, o prefeito Francisco Nagib afirmou que o resultado obtido por Codó é proveniente dos investimentos realizados em melhorias estruturais (reformas, ampliações e construção de escolas), qualidade da merenda escolar, capacitação e formação dos profissionais e na qualidade do ensino público municipal, além do trabalho competente e compromissado dos professores da rede pública de Codó.

“Investimos muito e de forma adequada em educação, ou seja, de acordo com os critérios exigidos pela Constituição. Desde 2017 iniciamos um processo intenso de requalificação de nossa rede física, com a nucleação e melhoria de todas as nossas escolas. Destinamos recursos para o mobiliário das nossas unidades de ensino e para projetos inovadores em relação a qualidade do ensino, como o Alfabetiza Codó, renovamos a frota do transporte escolar e também apostamos na valorização dos professores e do conteúdo aplicado em sala de aula”, comentou o gestor

O prefeito também destacou o papel fundamental e valioso dos professores da rede municipal de ensino. “Fizemos a nossa parte, mas também devemos tudo isso ao trabalho árduo de todos os nossos professores e diretores. Quando assumimos a gestão nossa classificação, em anos iniciais, era a de 172º lugar, agora saltamos para o 55º lugar. Agradeço de todo coração a coragem e determinação dos nossos professores, que nos ajudaram a realiza esse sonho, e vamos evoluir mais. Isso tudo é fruto de um plano de ação que envolve todos os servidores da Educação”, ressaltou o prefeito Nagib.

Duarte Júnior esvazia apoios do PT a candidatura Rubens Júnior

O deputado estadual Duarte Júnior anunciou no final de semana, mais dois apoios importantes para seu projeto de tornar-se, ao lado da sobrinha do deputado Josimar de Maranhãozinho (PL), o próximo prefeito de São Luís.

Em suas redes sociais, Duarte destacou o apoio do deputado federal do PT, Zé Carlos da Caixa e do secretário de Trabalho, Jowberth Alves, também filiado ao PT. A secretaria estadual, inclusive, é a fatia petista no governo Flávio Dino.

Os dois apoios, além de ridicularizar a candidatura de Rubens Júnior (PCdoB), que tem como companheiro de chapa Honorato Fernandes (PT), reforça a característica do PT na capital.

Como diriam os mais antigos, é o PT sendo pt.

Neto Evangelista participa de reunião com lideranças no Cantinho do Céu

A convite do vereador Raimundo Penha (PDT), o candidato a prefeito do Democratas, deputado estadual Neto Evangelista e a candidata a vice-prefeita, Luzimar Lopes (PDT), participaram, na sexta-feira (18), de uma grande reunião com lideranças políticas e comunitárias.

Durante o evento que aconteceu no sítio Recanto Feliz, no Cantinho do Céu, Penha apresentou Neto Evangelista como o seu candidato a prefeito e fez um balanço de suas ações.

“Neto é um político experiente e capacitado, que tem disposição e sensibilidade para entender que as demandas que levarei ao Executivo representarão o sentimento do povo. São Luís precisa de Neto prefeito para realizar mais obras”, garantiu Penha.

Neto Evangelista agradeceu o apoio e todas as manifestações de carinho, reafirmando que fará uma gestão jamais vista na cidade de São Luís. “Com foco, determinação e vontade política para ganhar as eleições”, afirmou.

Ele também destacou sua trajetória política. “Estou no terceiro mandato de deputado estadual, fui secretário de Estado de Desenvolvimento Social na gestão do governador Flávio Dino e foi onde vivenciei as dificuldades enfrentadas pelas pessoas por conta das desigualdades sociais”.

Disse, ainda, que é preciso se indignar com a situação do próximo e, a partir daí, transformar a vida das pessoas. “Estou na política porque acredito que a política é o principal meio de transformação social que existe. E é através dela que mudaremos a realidade do nosso povo”, finalizou Neto Evangelista.

Sem moral, Eudes Sampaio vê deputado declarar apoio a oposição em seu próprio palanque

O prefeito Eudes Sampaio (PTB), que tem sua gestão reprovada por 68,2% dos ribamarenses e ficaria apenas em terceiro lugar se as eleições fossem hoje, segundo pesquisa Datailha divulgada neste domingo (20), vive uma péssima fase.

Após enfrentar momentos difíceis em visitas aos bairros João de Cadal, muita confusão durante evento no Araçagy e ser hostilizado pelos moradores da Cidade Alta, o prefeito Eudes Sampaio assistiu calado, em seu próprio palanque no Parque Jair, o deputado Marcos Caldas dizer em sua cara que não o apoiará.

Pior do que isso, foi ouvir o parlamentar afirmar para a população do bairro, que seguirá as ordens do PDT, e caminhará com o pré-candidato Jota Pinto (PDT), adversário de Eudes.

A conduta do parlamentar mostrou o completo desprestigio de Eudes Sampaio com a classe política e aconteceu no mesmo bairro onde dois anos antes, o vereador Moisés Gama foi afrontado pelo ex-prefeito Luís Fernando e o atual prefeito Eudes Sampaio, que acusou o parlamentar de votar contra a população do Parque Jair.

Misteriosamente, dois anos depois de tentar dar uma surra em Luís Fernando, Moises Gama virou o grande defensor do prefeito Eudes Sampaio.

Porém, o palanque montado para apresentar Eudes ao Parque Jair foi contemplado com a participação do deputado Marcos Play, que acabou com a festa do gestor.

Em entrevista ao JP, Jeisael fala sobre plano de governo e política

O jornalista Jeisael Marx, candidato da Rede Sustentabilidade para prefeito de São Luís, fala ao Jornal Pequeno

O jornalista Jeisael Marx, escolhido em convenção candidato a prefeito de São pela Rede, concedeu entrevista ao Jornal Pequeno, publicada na edição deste domingo, 20.

Jeisael falou sobre projetos que pretende implantar na Capital Maranhense e disse que seu plano de governo é baseado em descentralização, participação popular e sustentabilidade.

Leia a íntegra da entrevista.

JP – Quais as propostas mais importantes que pretende apresentar nesta campanha?

Jeisael – Nosso plano de governo é baseado no tripé descentralização, participação popular e sustentabilidade. Nosso principal objetivo é otimizar o gasto do dinheiro público, fazer mais com menos, com uma estrutura de gestão eficiente e eficaz com a finalidade de cuidar melhor do cidadão e cidadã. O município não consegue mais arrastar uma estrutura administrativa arcaica, centralizadora, num modelo que só ainda existe em nossa capital, São Luís. Uma estrutura inchada, loteada entre partidos, e que não dá respostas aos problemas em tempo adequado.

Vamos diminuir de 33 para 19 secretarias, criar um Procon Municipal, 5 Unidades Descentralizadas de Gestão (subprefeituras); vamos criar um Centro Administrativo Municipal, para desalugar prédios particulares onde funcionam órgãos da prefeitura; eliminar despesas com contratos de segurança e limpeza desses prédios; diminuir despesas com veículos, priorizando, onde possível, contratos com táxis e transporte por aplicativo para prestar serviços aos órgãos da prefeitura.

Usar mão de obra da própria comunidade através do Mutirão Nosso Bairro para realizar obras e serviços nas comunidades (recuperação de ruas e praças, por exemplo) através de editais com instituições da sociedade civil, gerando emprego e renda nos bairros; implantar sistemas de energia fotovoltaicos nas escolas, gerando economia nas contas de energia e produzindo consumo limpo e sustentável; fazer parceiras público privadas para, a curto prazo, dar respostas à falta de vagas em creches, desafogar o sistema de saúde (consultas e exames etc), dar treinamento para professores entre outros; ouvir as prioridades das comunidades para executar obras e serviços através do orçamento participativo, com a participação, de fato, dos cidadãos na gestão municipal.

Eficiência e eficácia representam mais dinheiro nos cofres públicos, o que representa mais ações e políticas públicas onde mais precisa.

JP – E qual sua impressão sobre as pesquisas divulgadas até agora?

Jeisael – Nossa caminhada não é movida por pesquisas. Nossa missão independe delas. No entanto, espontaneamente, segundo a maioria dos levantamentos, o que se observa é que aproximadamente 60% do eleitorado (ou mais) ainda não se decidiu, ou sequer está interessado no assunto eleição. Nós vamos continuar nossa caminhada, conversando com as pessoas, mostrando que a única forma de romper com esse modelo de administração arcaico existente na cidade é através de um nome fora da atual cultura política. São Luís precisa superar esse ciclo de cerca de 20 anos de dominação do mesmo grupo na Capital. E quando o eleitor entender essa necessidade, tenho certeza que esses mais de 60% que não estão interessados ou ainda não se decidiram, irão mudar completamente o cenário das pesquisas. Quando esse eleitorado entender que este ano nós temos uma opção fora desse ciclo pernicioso, o resultado pode ser surpreendente.

JP – Acredita que há de fato um favoritismo em torno do nome de Eduardo Braide?

 

Jeisael – O que eu acredito é que nosso nome é o melhor para São Luís diante de um cenário de filhotismo que perpetua na política os “filhos do poder”. São sempre os mesmos grupos e famílias que passam mandatos de mão em mão, para filhos, netos, esposas, sobrinhos, apadrinhados. Como se a política fosse reservada apenas para o pessoal da elite, a cada eleição nós vemos os júniores, filhos e netos, ou sobrenomes tradicionais disputando a eleição. Eles se juntam entre si, agregam forças financeiras e de grupos tradicionais em seu entorno para enganar o povo. Posam de novidade na política, mesmo estando nela e se servindo dela a tanto tempo, e se juntando com velhas raposas para, em diversos casos, afanar os cofres públicos. Eles sempre acham um meio de dissimular sua verdadeira face. Como agora, por exemplo, onde, para contrapesar, vários deles estão usando como vices em suas chapas pessoas de origem pobre, da periferia. Eles são malandros. Para eles, é mais importante “parecer ser” do que ser de verdade. São dissimulados, parasitas da política, malandros, com sorrisos falsos e perfis fabricados para enganar as pessoas. Lutamos contra isso.

JP – No seu modo de ver, há um cenário indicando um provável segundo turno?

Jeisael – No meu modo de ver, os eleitores deveriam criar um cenário de segundo turno com a oportunidade de poder escolher um bom candidato. Porque, infelizmente, nas últimas eleições nós temos ficado sempre com a escolha entre o “ruim” e o “menos ruim”. Nosso nome está posto fora desse binarismo, e esperamos que as pessoas entendam que este ano temos uma boa opção. Lamentavelmente, neste momento o eleitor já se depara com as mesmas peças no tabuleiro. E eu faço um convite à refletir: queremos eleger as mesmas pessoas de sempre? Me coloco à disposição, pra depois não dizer que não tínhamos opção. Não estou comprometido com forças políticas tradicionais, nem me juntei à velhas raposas da política. Estou dizendo: estou aqui, pra fazer diferente.

JP – Qual sua análise sobre a administração do prefeito Edivaldo, nestes dois mandatos à frente da Prefeitura de São Luís?

Jeisael – A atual administração conseguiu avançar em áreas importantes, como na questão dos resíduos; tem boa atuação também na área de Assistência Social. Mas peca miseravelmente em outras áreas importantes como Educação, Saúde, Infraestrutura. Lamentavelmente, o atual prefeito não conseguiu ser um gestor mais do que regular. Nós queremos dar andamento naquilo que é bom, corrigir o que não funciona direito, focar em colocar o básico para funcionar, e avançar a partir daí para uma gestão moderna e eficiente.

JP – Que influência podem ter nestas eleições em São Luís figuras como Lula, Sarney, Bolsonaro, Flávio Dino e o prefeito Edivaldo?

Jeisael – Apostar em agregar à candidatura a prefeito esses nomes de forma massiva é mais uma tática velha da política praticada por quem se diz “novo”. Na incapacidade de conseguir agregar simpatia e adesão do eleitor ao seu próprio nome, abusam dos nomes de figuras que gozam de popularidade. Acontece que não será Lula o prefeito, nem Bolsonaro, nem Sarney, nem Flavio Dino. É legítimo e natural que figuras ligadas aos partidos ou grupos de qualquer candidato possam declarar apoio e aparecer ao lado de seus apoiados. Malandragem é usar isso de forma massiva, apenas como estratégia para angariar votos, baseado em instrução de marqueteiro, apostando na ingenuidade do eleitor. As pessoas precisam compreender que a maior influência é o cidadão, que acaba sendo menosprezado. A gente ouve falar em “candidato do Lula” de um lado, do outro “o candidato do Bolsonaro”, ou o “candidato de Flávio Dino”, de fulano de beltrano… O título que eu quero nessa disputa é de “candidato do povo”, do povo de São luís.

JP – Qual sua opinião sobre o apoio do MDB ao deputado Neto Evangelista (DEM) e sobre estas demais alianças para as próximas eleições na capital?

Jeisael – Cada um escolhe a forma que deseja caminhar. Os acordos e alianças são algo inerente à política. Eu não criminalizo a política, pois é ela o caminho para buscar soluções para os problemas da sociedade. O ruim é a forma como alguns escolhem fazer a política. Minha principal crítica é que esses acordos e alianças têm outros interesses, que não são os interesses do povo. Esses que estão sendo feitos agora, não pensam em São Luís. Não pensam sequer no Palácio La Ravardiére, mas pensam no palácio ao lado, o dos Leões. As forças políticas se montando agora deveriam pensar na cidade, não em seus próprios interesses. O cidadão precisa compreender que a semente da corrupção está sendo plantada agora. É preciso questionar como e quem está bancando estruturas milionárias para a realização de atos políticos gigantescos. É preciso questionar porque líderes de partidos políticos correm pra um lado e pra outro – sem nenhuma coerência ideológica – antes de fechar acordos, como se estivessem fazendo leilão. Inimigos de ontem, de braços dados hoje. Quem caminha na política dessa forma e vence a eleição assim, está fadado a fatiar a administração municipal desde já para atender a interesses daqueles que financiam e apoiam esse modo de caminhar. Quem vai pagar a conta?

JP – Na sua avaliação, há um racha no grupo Sarney para as próximas eleições em São Luís?

Jeisael – Esse é o tipo de assunto que não cabe a mim, enquanto candidato, comentar no momento. Nossa preocupação é em falar com as pessoas aquilo que nós podemos fazer pela cidade. Trazer experiências pra tornar a cidade um lugar mais humano. Implantar ideias que já foram testadas e aprovadas em outros lugares do Brasil e do mundo, como hortas comunitárias, mutirão nos bairros, coleta seletiva residencial, educação ambiental nas escolas, mais guardas municipais. Queremos escolas e creches comunitárias atendidas com recursos no menor tempo e com menos burocracia, ônibus novos na Zona Rural, saneamento básico etc. Muita coisa já poderia ter sido feita, mas a cultura política impediu. Uma candidatura independente consegue pensar num projeto que seja possível. Eu acredito num jeito diferente de caminhar na política.

JP – Que reflexos estas eleições em São Luís poderão ter na sucessão do governador Flávio Dino, em 2022?

Jeisael – Infelizmente, vários candidatos estão disputando a eleição de São Luís como trampolim para as eleições de 2022, cada um com seu pretenso candidato a governador ao lado. São vendilhões da coisa pública, e farão qualquer coisa para alcançar seus objetivos, vendem suas almas ao diabo, o que interessa é o poder.

Eu estou interessado em alcançar o cidadão que está enfrentando problemas reais, agora. E eles estão interessados, certamente, em me anular na disputa, me neutralizar, por ser o único, ao lado do povo, capaz de pôr um freio em suas pretensões. Nossa preocupação está em 2020, vencer a eleição para, a partir de 2021, dar o primeiro passo de uma gestão desvencilhada desses interesses personalistas de quem só se preocupa com sua própria barriga e não com os problemas da cidade, de fato.

JP – Como pretende levar avante sua campanha nestes tempos de pandemia do coronavírus?

Jeisael – Nosso tempo de televisão praticamente inexiste, não dá nem pra falar uma frase inteira. Não pretendemos repetir o desrespeito de outros candidatos com a vida das pessoas, que realizaram inúmeras reuniões sem nenhuma preocupação com a pandemia de coronavírus. Vamos para a rua, caminhar em grupos pequenos, respeitando ao máximo o distanciamento, conversar com as pessoas, e usar a internet. O caminho é árduo e espinhoso, mas estamos dispostos a lutar, lado a lado, eu, minha vice Janicelma Fernandes, e o povo de São Luís.