Vereador é acusado de misoginia durante sessão em Tutóia

Ofensas do vereador, que tentou diminuir  a atuação da presidente da Câmara, por ser mulher, tumultuou a sessão

O vereador Fernando Brito do Amaral (Cidadania), natural do Estado do Piauí, é acusado de misoginia contra a presidente da Câmara de Tutóia, vereadora Jamilza Baquil (PDT), durante a sessão na última segunda-feira (30).

Durante debate caloroso sobre energia eólica, o parlamentar, conhecido pelo seu jeito arrogante, tentou ofender a presidente da Câmara, sugerindo que lugar de mulher é na cozinha.

“A senhora não pode tocar a Câmara como toca a cozinha da sua casa,” disparou o ex-procurador do Município.

Se achando machão demais, o vereador que acha que lugar de mulher é na cozinha foi prontamente repreendido por colegas de parlamento e pela Presidente da Câmara.

“Na cozinha de casa eu nem faço nada. Você me respeite. Você tem mulher, e mulher tem que ser respeitada,” rebateu a presidente da Câmara, em defesa de todas as mulheres de Tutóia.

O caso pode complicar a vida do vereador, que pode ser denunciado na Comissão de Ética da Câmara Municipal, acusado de misoginia, que é repulsa, desprezo ou ódio contra as mulheres. Esta forma de aversão à mulher é centrada em uma visão sexista, que coloca a mulher em uma relação de subalternidade em relação ao homem, e muitas das vezes, motiva outros crimes contra a mulher.

Por falar em Comissão de Ética, Fernando Brito do Amaral, que além de vereador e empresário no município de Araioses, onde é sócio da empresa Equatorial Ventos Lestes, exerceu o cargo de Procurador do Município de Tutóia sem ter inscrição suplementar na OAB/MA, o que também pode levá-lo a punição pela Comissão de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil, já que o cargo de procurador é privativo de advogado e para tanto, é necessário de inscrição na seccional do Maranhão.

Confira o vídeo da confusão:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *