Escândalo em Barão de Grajaú! Empresa fatura R$ 1 milhão e 363 mil reais, pra gerir iluminação pública por apenas 23 dias.

A empresa seria do primo do prefeito, Glaydson Resende (PCdoB), e também faturou mais de R$ 1 milhão em outra prefeitura, a do município da Raposa, comandada pela primeira-dama de Barão de Grajaú, Talita Laci (PCdoB).

Prefeito de Barão de Grajaú, Glaydon Resende, primo e empresário Rodolfo Freitas dos Santos, e a prefeita da Raposa, Talita Laci. Entre eles, contratos milionários.

O Ministério Público precisa fazer uma verdadeira varredura nos contratos assinados na prefeitura de Barão de Grajaú, comandada por Glaydson Resende. O blog Maramais recebeu varias denúncias de irregularidades, dentre elas, uma gravíssima, envolvendo recursos da Iluminação Pública da cidade.

De acordo com os dados constantes no Portal da Transparência, a empresa RFS – Rodolfo Freitas dos Santos, celebrou contrato com a prefeitura no dia 08 de fevereiro de 2018, com prazo para terminar no dia 03 de março de 2018, ou seja, apenas 23 dias de contrato.

Os dados oficiais estão no Portal da Transparência da Prefeitura de Barão de Grajaú, e prevê contrato milionário por pouco mais de 20 dias de serviços.

Por esse curtíssimo período, a empresa, que seria do primo do prefeito, faturaria a fortuna de R$ 1 milhão, 363 mil reais, para gerir a Iluminação Pública de Barão de Grajaú.

A empresar egistrada na Receita Federal deveria funcionar no bairro Vila Damasceno, em uma rua que não passa sequer carroça.

A empresa vencedora da licitação em Barão de Grajaú é a mesma que venceu licitação e vai faturar mais de R$ 1 milhão para locação de veículos no município da Raposa, que coincidentemente é comandada pela esposa de Glaydson.

Além da fortuna paga por apenas 23 dias de serviço, outra informação ainda mais grave deve levar o Ministério Público a investigar e posteriormente acionar o prefeito por suposto ato de Improbidade Administrativa.

Quando Glaydson contratou a empresa do RFS, já tinha outro contrato com objeto similar em vigência, o que pode caracterizar fracionamento de licitação, o que, segundo legislação, pode configurar ato de improbidade administrativa.

Quando a empresa RFS foi contratada para gestão da Iluminação Pública, o município já tinha contrato similar com a empresa Brito e Dias LTDA, com vigência até o dia 04 de abril de 2018.

Pelo contrato que durou seis meses, a empresa Brito e Dias, com sede em Matões do Norte, faturou R$ 1 milhão 563 mil reais, ou seja, quase o mesmo valor que a empresa RFS, com sede na periferia de Colinas, faturou em apenas 23 dias de trabalho.

A similitude do objeto dos contratos, firmados com empresas diferentes, por licitações diversas, dentro do mesmo período temporal, em tese, pode configurar fracionamento de licitação, o que pela legislação, incorre em ato de improbidade administrativa,

Veja também: Loucura! Talita Laci vai torrar mais de R$ 1 milhão com locação de veículos na Raposa

Loucura! Talita Laci vai torrar mais de R$ 1 milhão em locação de veículos na Raposa.

A empresa vencedora da licitação seria de propriedade do primo do marido da prefeita Talita Laci. Registrada no município de Colinas, o endereço simplesmente não existe.

Pelo visto o dinheiro está sobrando na Raposa, pequeno município de menos de 30 mil habitantes que fica na região metropolitana de São Luís. Por lá, a prefeita Talita Laci (PCdoB), aquela do caso dos “Caixões”, revelado pelo blog Maramais e que virou notícia nacional, se não bastasse ter assinado contrato onde prevê gastar quase R$ 3 milhões em combustível, agora, a prefeita, que já foi comparada com a ex-prefeita ostentação Lidiane Leite, quer torrar mais de R$ 1 milhão de reais em locação de veículos.

No total, foram realizados nove contratos com a empresa R.F.S. Serviços LTDA, que somados, chegam a fortuna de R$ 1 milhão, 137 mil e 600 reais. Um verdadeiro luxo para o município que tem como maior vocação a pesca.

( veja os contratos no Diário Oficial clicando aqui, Edição do dia 22 de Março ).

Nossa equipe de reportagem esteve em Colinas, que fica 463 km de distância do município da Raposa, para conhecer a empresa vencedora da licitação.

Essa é a rua onde deveria existir a empresa R.F.S., mas o número 319 simplesmente não existe.

Durante o dia inteiro, procuramos a empresa em um bairro humilde da cidade, mas só encontramos uma avenida completamente destruída. A sede da RFS, que tem como proprietário o empresário Rodolfo Freitas dos Santos, deveria ficar na Avenida Alice Brandão, 319, Vila Damasceno, em Colinas, mas o endereço simplesmente não existe. Ninguém na rua nunca ouviu falar na empresa e desconhece o proprietário.

Informantes ligados a Prefeitura Municipal de Colinas informaram que a família Brandão, aliados da prefeita Valmira, sempre teve forte ligação com o pai da prefeita do município da Raposa, o ex-prefeito Lací, desde a época em que Carlos Brandão era auxiliar do ex-governador José Reinaldo (sem partido).

Descobrimos também, que o proprietário da empresa que vai faturar mais de R$ 1 milhão com locação de veículos, o empresário Rodolfo, seria primo do marido da prefeita da Raposa, Glaydson Resende, prefeito de Barão do Grajáu.

O dinheiro para pagar os alugueis dos carros serão retirados de recursos da Saúde, da Educação e da Assistência Social.

Pelo visto, Talita Laci terá que esclarecer muita coisa ao Ministério Público.

Loucura! Talita Lací quer torrar quase R$ 3 milhões em combustível na Raposa

Com esse dinheiro todo, dá pra encher o tanque de 55 veículos populares todos os dias, durante um ano inteirinho.

A empresa Rolim e Rolim, distribuidora de combustível vai faturar uma verdadeira fortuna no pequeno município da Raposa, cidade com pouco mais de 27 mil habitantes, comandado pela jovem prefeita Talita Laci. (PCdoB)

Segundo publicação do Diário Oficial da Raposa desta segunda-feira, 12, em sua edição nº 029, a empresa, de propriedade do empresário Welker Carlos Rolim, vai faturar R$ 2 milhões, 875 mil e 634 reais, em seis contratos de fornecimento de combustível para a prefeitura.

No ano passado, a mesma empresa abocanhou R$ 1 milhão de reais em contratos para fornecer combustível aos veículos da prefeitura. Esse ano, o contrato chega próximo ao montante  de R$ 3 milhões.

É tanto dinheiro, que pra se ter uma ideia, a prefeitura terá que gastar cerca de R$ 8 mil reais por dia em combustível, contabilizando os sábados, domingos e feriados. Se o gasto for calculado apenas nos dias uteis, esse valor ultrapassa o montante de R$ 11 mil reais por dia.

O absurdo é maior, se usarmos os R$ 11 mil reais diários, para calcular o abastecimento dos veículos.

Um carro popular, por exemplo, que tem capacidade de 55 litros, custa, pelo valor de mercado, cerca de R$ 203, reais, por abastecimento total do tanque.  Baseado nesse calculo, a prefeitura precisará torrar todo o combustível de 55 veículos, por dia, durante um ano inteiro, para justificar o gasto dessa dinheirama toda.

Difícil será gastar esse combustível todo, para rodar em um município pequeno como a Raposa.

Um tanque com 55 litros de combustível, por exemplo, tem uma autonomia de aproximadamente 600 km, o que daria para ir e voltar, em Bom Jardim, a cidade a ex-Prefeita Ostentação e fica 300 km distante do município comandado por Talita Laci.

Veja também:

Talita quer saber como Andréa Coutinho gastou R$ 100 mil reais

Prefeita da Raposa quer gastar quase meio milhão com dedetização

Cadeiras de ouro: Talita Laci pretende alugar jogos de mesas 300% mais caras

Loucura! Prefeitura da Raposa vai torrar R$ 170 mil em Caixões.

Talita Laci quer queimar R$ 2 milhões em locação de equipamentos para festas.

Após matérias dos caixões, prefeita manda tirar Diário Oficial do ar.

Matérias do blog Maramais motivam MP a abrir inquérito contra prefeita da Raposa

 

Talita quer saber como Andréa Coutinho gastou os R$ 100 mil repassados pela prefeitura.

Em 08 de março de 2015, juntas, Talita e Andréa comemoravam a “Força da mulher”na Raposa.

A prefeita do município da Raposa, Talita Laci (PCdoB), autorizou a instauração de Tomada de Contas Especial, em face da presidente da Colônia de Pescadores da Raposa, Andréa Coutinho. Talita quer saber como foram gastos os R$ 100 mil reais repassados para a Colônia em 2015, para realização da Festa dos Pescadores.

O processo deve complicar a reeleição de Andréa Coutinho

Naquele ano, aliadas de primeira hora, Talita, que estava a frente da prefeitura municipal da Raposa, e comemorou a vitória da jovem Andréa para presidir a entidade com quase 2 mil pescadores cadastrados, repassou o montante, com o objetivo de ver uma grande festa na cidade.

Sob a organização de Din Barros, a festa recebeu mais de 5 mil pessoas no Arraial do Povo, mas a programação, nem de longe, custaria R$ 100 mil reais. Dentre as atrações contratadas para animar o público, estavam a banda local Trio Neon, banda Palace Show e a aparelhagem Mega Show.

Sem prestar contas do dinheiro repassado pela prefeitura, agora, Talita abre processo administrativo para que Andréa Coutinho esclareça, detalhadamente e com documentos, como gastou todo o dinheiro.

 

Prefeita da Raposa quer gastar quase meio milhão com serviços de dedetização

Após promover um processo licitatório funerário que já tornou-se alvo de investigação do Ministério Público Estadual, a prefeita Talita Laci (PC do B) realizou recentemente uma nova licitação, cujos valores são altos, para execução de serviços que, nem de longe, estão atrelados aos verdadeiros anseios dos moradores do município da Raposa, na Grande Ilha de São Luís.

Por meio de pregão presencial, a empresa Ambiente Limpo Dedetização e Serviços LTDA- ME, sediada no bairro Farol do Araçagi, na própria cidade da Raposa, foi contratada pela prefeitura para fornecimento de serviços de dedetização, desinfestação, desratização e barreira química interna.

O contrato, que consta no diário oficial do município da última sexta-feira, prevê, em doze meses, um gasto de mais de R$ 499 mil, recursos, estes, que serão alocados dos Fundos Municipais de Saúde, Assistência Social, Fundeb e do setor da Agricultura.

A contratação determina a execução de ações que eliminem diversos tipos de insetos rasteiros e roedores – tais como baratas, formigas, traças, pulgas, percevejos, carrapatos, aranhas, cupins, escorpiões, moscas e mosquitos, ratos e lagartixas — em prédios públicos do município, sejam eles próprios ou alugados.

Prevê, ainda, limpeza de reservatórios ou caixas de d’ águas instaladas nos prédios administrativos e limpeza de fossas.

No mês passado, Talita Laci ganhou notoriedade após promover licitação, no valor de mais de R$ 170 mil, na qual contratou a empresa Pax São Luís, com sede na Avenida Principal da Cidade Operária, em São Luís. para fornecimento de caixões para a população do município.

Levando-se em consideração o valor atual praticado no mercado, um caixão terá que ser doado por dia pela prefeitura a uma família raposense.

O município de Raposa tem menos de 30 mil habitantes e, de acordo com informações do Sistema de Informações sobre Mortalidade, em 2015, por exemplo, foram registrados apenas 131 óbitos, sendo que apenas 20 famílias recorreram ao auxilio dado pelo município.

As informações são do jornalista Glaucio Ericeira.

Cadeiras de ouro! Talita Laci pretende alugar jogos de mesas 300% mais caras do que o valor de mercado.

No mercado, o valor da locação pode chegar até R$ 3,50, mas a prefeita vai locar por R$ 14,00 cada jogo de mesa.

A prefeita do município  de Raposa, Talita Laci (PCdoB), deve ser alvo de nova investigação do Ministério Público.  Depois da super-compra de Caixões, divulgada em primeira-mão pelo blog Maramais e que virou alvo de investigação do Parquêt,agora a jovem prefeita pretende alugar jogos de mesas com valores três vezes maiores do que o praticado no mercado.

Segundo publicação do Diário Oficial da Raposa, edição número 015, do último dia 05 de fevereiro, disponibilizado apenas nesta sexta-feira, 09, a prefeita pretende alugar 500 mesas e 5 mil cadeiras de plástico, idênticas as da foto, pelo valor de R$ 14,00 reais cada jogo de mesa, composto por uma mesa e quatro cadeiras.

O blog fez uma rápida pesquisa de mercado, e verificou que é possível alugar jogos de mesas com a mesma característica pelo valor de R$ 4,00, valor três vezes menor do que o pretendido pela prefeitura do município da Raposa.

Em alguns casos, se a quantidade de jogos de mesas for maior que 100, o preço pode cair pra R$ 3,50.

A empresa vencedora da licitação é M do Nascimento Pereira Comércio, com sede no Village Cohatrac V, em São José de Ribamar, a mesma questionada pelo Secretário de Comunicação, que mantém um blog e em 19 de setembro do ano passado, publicou reportagem denunciando a prefeitura de Paço do Lumiar por contratar R$ 700 mil reais em quentinhas. ( veja aqui ).

Prefeita virou alvo de investigação por compras de Caixões.

Com a prefeitura da Raposa, além dos jogos de mesas com valores exorbitantes, a empresa Mirian Eventos também vai faturar R$ 38,5 mil com cafezinho, ou Coffee Break, se preferir.

Ao que tudo indica, a jovem prefeita segue o mesmo caminho da ex-prefeita ostentação, Lidiane Leite, que cumpre prisão domiciliar por estar em período de amamentação do seu filho recém-nascido.

O Ministério Público deve apurar essa nova licitação com indícios de irregularidades.

Leia também:

Loucura! Prefeitura da Raposa vai torrar R$ 170 mil em Caixões.

Talita Laci quer queimar R$ 2 milhões em locação de equipamentos para festas.

Após matérias dos caixões, prefeita manda tirar Diário Oficial do ar.

Matérias do blog Maramais motivam MP a abrir inquérito contra prefeita da Raposa

 

Matérias do blog Maramais motivam MP à abrir inquérito contra prefeita da Raposa.

As duas reportagens do blog Maramais, que revelaram a intenção da prefeita do município da Raposa, em gastar uma fortuna com Caixões e Festas, motivaram o Ministério Público do Maranhão a instaurar inquérito civil para apurar suposto crime de improbidade administrativa contra a prefeita do município da Raposa, Talita Laci (PCdoB).

A primeira reportagem foi publicada no dia 24 de janeiro, e mostrou que a prefeita tinha a intenção de gastar R$ 170 mil com a compra de Caixões, valor muito superior ao que motivou ação contra a ex-prefeita ostentação, Lidiane Leite, condenada em situação muito parecida com a jovem prefeita da raposa. ( reveja aqui )

Já a segunda reportagem, publicada no dia 26 de janeiro, revelou que a prefeita tinha planos de gastar quase R$ 2 milhões de reais com locação de estrutura para realização de eventos. ( reveja aqui )

Após publicação das duas reportagens, o Ministério Público abriu investigação, no dia 29, para apurar as condutas da prefeita, que terá prazo de dez dias para encaminhar à Promotoria cópia integral dos autos dos dois processos que resultaram nas contratações alvo de investigação.

Após matéria dos Caixões, Prefeita da Raposa manda tirar site do Diário Oficial do ar

Ao que tudo indica, a jovem prefeita da Raposa, Talita Laci (PCdoB), não gostou muito de saber que suas ações estavam sendo acompanhadsa por blogueiros e emissoras de TV do Maranhão. Após o blog Maramais publicar matéria que revelou  a intenção da prefeita em torrar mais de R$ 170 mil reais com Caixões e outros quase R$ 2 milhões com locação de som e palco para festas no município,  e que pautou diversos blogs e até a TV Mirante, a jovem prefeita ordenou que o Diário Oficial da Raposa fosse tirado do ar.

Quem tentou acessar o link do Diário Oficial da Raposa nas últimas 36 horas, ficou decepcionado, já que o link direciona apenas para uma página branca.

A atitude da prefeita mostra a vontade em continuar com as antigas praticas municipais, e deve chamar ainda mais a atenção do Ministério Público.

Talita Laci vai torrar quase R$ 2 milhões com locação de equipamentos para festas na Raposa

A jovem prefeita pretende gastar quase dois milhões com locação de equipamentos para festas.

Segundo informações do Diário Oficial do Município da Raposa, a jovem prefeita Talita Laci (PCdoB), pretende gastar uma verdadeira fortuna com festas no município. De acordo com o pregão presencial nº 049/2017, publicado nesta sexta-feira, 26, quatro empresas juntas, irão faturar R$ 1 milhão, 833 mil reais, para locação de equipamentos para realização de eventos na cidade.

Quase dois milhões para locação de equipamentos para festas.

A empresa Euroban Aluguel de Equipamentos, Eventos e Serviços, com sede na Avenida São Luís Rei de França, em São Luís, e de propriedade dos empresários Josué Sousa Gouveia e Betânia Sousa Matos, vai faturar R$ 39 mil.

Outra empresa que vai faturar com as festas da Raposa é a Mirian Eventos, com sede no Vallagio Cohatrac V, em São José de Ribamar. A empresa vai faturar pouco mais de R$ 53 mil reais.

Já a Energia Locação e Serviços, de propriedade de Mauricio Jorge André e Vinicius Oliveira Jorge e que tem sua sede em Paço do Lumiar, vai receber R$ 55,5 mil com o contrato para realização de festas.

A maior parte do contrato, exatos R$ 1 milhão, 685 mil, 330 reais, deverão ser embolsados pelo ex-Assessor de Comunicação do Professor Josemar, ex-prefeito de Paço do Lumiar. Stênio Pereira Aragão, mais conhecido como Stênio Kavasaky.

Com sede no bairro da Pirâmide, a empresa de Kavasaky, vai ganhar quase 20 vezes o valor do seu atual capital, que é de apenas R$ 90 mil reais.

Com todo esse dinheiro sendo gasto só com locação de equipamentos para festas, a prefeita não deve se reclamar de crise.

Leia também: Loucura! Raposa vai torrar R$ 170 mil reais com Caixões.

Loucura! Raposa vai torrar R$ 170 mil reais com Caixões.

Caso lembra o da ex-prefeita Ostentação, Lidiane Leite, que gastou R$ 135 mil em caixões e foi condenada por ato de improbidade, tendo que devolver o valor integralmente aos cofres municipais.

A prefeitura do município da Raposa, comandada pela jovem prefeita Talita Lací (PCdoB), prevê muitas mortes para o ano de 2018. Segundo o contrato publicado no diário do município, serão gastos R$ 170 mil reais com a compra de caixões, o que dá, pelo valor de mercado, uma média de pelo menos um caixão por dia, ou seja, 365 mortes em 2018.

De acordo com dados oficiais, a empresa que vai faturar esse bolão todo é a Pax São Luís Raposa, com sede na Avenida Principal da Cidade.

O que mais chama atenção, é que o município tem menos de 30 mil habitantes, e de acordo com informações do SIM – Sistema de Informações sobre Mortalidade), em 2015, ano que teve muitas mortes, foram registrados apenas 131 óbitos, e desses, apenas 20 famílias recorrerão ao auxilio dado pela Prefeitura.

Caso parecido com Bom Jardim.

No município de Bom Jardim, a ex-prefeita ostentação, Lidiane Leite, foi condenada por fraudar licitação que tinha como objeto a compra de caixões no valor total de R$ 135 mil reais.

Lá, com 40 mil habitantes, o contrato foi bem menor do que no município da Raposa.

A ex-prefeita foi condenada a devolver o valor integral aos cofres públicos.