Roberto Rocha e Braide tratam Wellington do Curso com desprezo

A novela envolvendo o PSDB e a afundada pré-candidatura de Wellington do Curso (PSDB), mostra, além do desprezo com o deputado estadual, um distanciamento sem volta.

Apesar do bom desempenho de Wellington do Curso nas pesquisas divulgadas até o momento, só agora, às vésperas das convenções partidárias, o presidente estadual do PSDB e Braide resolveram revelar que já existe acordo fechado entre os dois desde 2018.

Fato é que, já que o acordo está fechado há dois anos, Wellington do Curso tem feito papel de besta com aval do seu próprio partido.

O próprio blog revelou em janeiro, que Roberto Rocha dava sinais de que passaria a perna em Wellington.

Resta saber agora, com quem Wellington do Curso caminhará depois dessa rasteira e qual o peso de sua decisão para a eleição na capital.

São José de Ribamar: Dr. Julinho troca Roberto Rocha por Josimar de Maranhãozinho

O namoro do ex-prefeito de São José de Ribamar, Dr. Julinho, com o senador Roberto Rocha (PSDB) não demorou seis meses. Nesta sexta-feira (28), o blog Maramais recebeu a informação de que o médico não caminhará mais no PSDB, mas sim com o PL, partido do deputado federal Josimar de Maranhãozinho.

A troca de partidos teria se dado porque Roberto Rocha estaria levando a pré-campanha do médico a banho-maria, em ritmo mais fraco do que pré-campanha para presidente de Associação.

Na quinta (27), após publicação da desistência do pré-candidato Júnior Lago, que anunciou adesão ao projeto de Julinho, ficou mais evidente que a troca já havia acontecido.

Agora, com o moral da BR, Julinho deve deixar sua residência em São Luís e cair em campo, em busca de apoio.

Roberto Rocha transformou o PSDB no partido de derrotas no Maranhão

Desde que assumiu a direção estadual do PSDB, em dezembro de 2017, o senador Roberto Rocha, eleito em 2014 pelo grupo do governador Flávio Dino  (PCdoB), transformou o gigante Tucano em um ninho de derrotas.

Sua chegada, vista com desconfiança por muitos, fez políticos de mandato abandonarem o partido, caso do deputado estadual Neto Evangelista, do suplente de senador Pinto Itamaraty e do vice-governador Carlos Brandão, que à época, deixou o partido e garantiu que levaria 25 prefeitos com ele.

Em 2018, Roberto Rocha enfrentou seu ex-grupo e junto com nomes conhecidos da política maranhense, levou uma verdadeira lavada nas urnas.

Na disputa pelo Governo do Estado,  o PSDB com a candidatura de Roberto Rocha obteve míseros 2,05% dos votos, ficando à frente somente do folclórico Ramon Zapata, que obteve 0,36% dos votos, uma verdadeira vergonha para um senador de mandato.

Já na tentativa de conseguir uma das duas vagas do senado, a péssima articulação de Roberto Rocha fez o ex-governador Zé Reinaldo passar a maior vergonha da sua história política, obtendo apenas 3,38% dos votos, ficando atrás até do desconhecido Samoel de Itapecuru (PSL), que obteve 4,47% dos votos.

Com sonho de se tornar senador, o ex-deputado estadual Alexandre Almeida também caiu na barca furada do senador e amargou outros míseros 3,37% dos votos.

O pacote de derrotados continuou na disputa por uma vaga na Câmara Federal. Associados à imagem de Roberto Rocha, também passaram vergonha o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB); o ex-deputado federal Waldir Maranhão (PSDB); e mais um punhado de candidatos desconhecidos que juntos não conseguiram eleger sequer um deputado para a Câmara Federal.

Outro que também passou vergonha nas urnas por ter sua imagem associada ao do senador Roberto Rocha foi o novato Guilherme Paz (PSDB), filho dos ex-deputados Clodomir Paz e Graça Paz (PSDB). Promessa nas urnas com a força da Codevasf e imagem leve, Guilherme ficou apenas na vontade.

Ironicamente, a única vitória no ninho tucano desde que Roberto Rocha assumiu o comando do partido, foi a do deputado Wellington do Curso (PSDB), reeleito com 24.950 votos, praticamente a mesma votação de 2014, mostrando que os votos foram frutos do seu primeiro mandato.

Agora, Roberto Rocha quer sepultar o projeto de Wellington do Curso, de disputar a prefeitura de São Luís pelo PSDB.

Roberto Rocha confirma que pode enterrar candidatura de Wellington do Curso pelo PSDB

Em nota emitida pelo senador Roberto Rocha (PSDB), nesta terça-feira (21), para justificar a sua aproximação com o projeto de Eduardo Braide (Podemos), o presidente estadual do PSDB  acabou confirmando que poderá enterrar a candidatura de Wellington do Curso pelo PSDB.

A tentativa de jogar panos quentes na crise aberta após uma declaração sua ao jornal O Estado, piorou, e o presidente do PSDB acabou confirmando com suas próprias palavras que poderá sim, juntar-se a Braide para evitar um eventual segundo turno.

Na nota, Roberto Rocha diz que seu partido e o de Braide estão no mesmo “campo” político e conclui a nota classificando como “pistoleiros digitais” os jornalistas que trataram da pauta envolvendo o seu nome.

Depois dessa, Wellington do Curso só fica no partido de Roberto Rocha se realmente estiver disponível para no máximo, pasmem, ser candidato a vereador, já que a vice deve ser preenchida pelo filho do senador.

Confira a nota

Roberto Rocha dá sinais de que passará a perna em Wellington do Curso

Para Roberto Rocha, o ideal é que Braide vença no primeiro turno

O senador Roberto Rocha, presidente estadual do PSDB, deu mais um sinal de que colocará o projeto do deputado Wellington do Curso, de disputar a eleição pelo partido que foi eleito em 2016, o PSDB, na gaveta.

Entusiasta do nome de Eduardo Braide (Podemos) e com o plano de emplacar o filho, o ex-vereador Roberto Rocha Jr. como vice, o presidente do PSDB já torce para que Braide vença no primeiro turno, deixando claro que apesar de Welington ser o pré-candidato do partido, seu plano é outro.

Em entrevista ao Jornal o Estado do Maranhão, Roberto Rocha disse o que pensa para a eleição deste ano. “Já temos um pré-candidato, que e é Wellington do Curso. Contudo, é importante saber que pertencemos a um grupo político de oposição ao governo do estado. Neste aspecto, é perceptível a estratégia de Flávio Dino em lançar vários candidatos e forçar um segundo turno na tentativa de impedir uma vitória de Eduardo Braide no primeiro turno. E segundo turno em São Luís contra duas máquinas, estado e prefeitura, é complicado. Dessa forma, o olhar político pode transcender as necessidades partidárias”, navalhou o senador.

Em novembro, ao participar do ato de filiação de Eduardo Braide ao Podemos, Roberto Rocha já dava sinais de que trabalharia para enfraquecer o projeto pré-candidato tucano.

Pelo visto, se o deputado Wellington do Curso realmente deseja ser candidato a prefeito de São Luís, é bom começar a procurar outro partido…

“Esmagados” por Flávio Dino marcam presença em ato de Eduardo Braide

A presença de dois ex-candidatos derrotados na eleição de 2018, pelo grupo do governador Flávio Dino (PCdoB), chamou atenção na última sexta-feira (29), durante ato de filiação do deputado federal Eduardo Braide ao Podemos.

Estavam por lá, os tucanos Zé Reinaldo Tavares e Roberto Rocha, que foram praticamente esmagados nas urnas, quando saíram humilhados, em sexto lugar com pouco mais de 3% na disputa pelo Senado, e em quarto lugar, com pouco mais de 2% na disputa pelo Governo, respectivamente.

Agora, os dois tentam voltar ao Poder, pelo Podemos, na onda de Braide, que em todas as pesquisas aparece em primeiro lugar na disputa pela prefeitura da capital, que pode ser um trampolim para o Governo do Estado, em 2022,

Para isso, o PSDB  terá que rifar o pré-candidato a prefeito Wellington do Curso (PSDB), que aparece em segundo lugar, de acordo com as últimas pesquisas, e que segue reafirmando que será candidato.

Nos bastidores, é cada vez mais forte a informação de que Roberto Rocha estaria forçando um namoro entre o PSDB e o Podemos, para emplacar o filho Rocha Júnior como vice, na chapa de Braide.

No sábado (30), a convite de Rocha, Braide esteve no evento do PSDB, o que reforçou ainda mais os rumores de traição a Wellington.

Com Eduardo Braide no fundo, Wellington reafirma pré-candidatura à prefeitura de São Luís

O deputado estadual Wellington do Curso reafirmou, na manhã deste sábado (30), durante Congresso Estadual do PSDB, realizado em São Luís, que será candidato a prefeito de São Luís em 2020. O detalhe que chamou a atenção foi a presença do pré-candidato a prefeito de São Luis, Eduardo Braide (Podemos).

 “As ruas exigem de cada um de nós uma postura ativa, firme e que resolva ou se disponha a resolver os problemas. Isso no Maranhão, de forma geral, e não é diferente em nossos municípios. É necessário que tenhamos união e fortaleçamos o nosso Partido para termos candidaturas nos grandes colégios eleitorais, a exemplo de São Luís, Imperatriz, entre outros. Tenho denunciado, cobrado e fiscalizado para que o dinheiro público seja aplicado na melhoria da qualidade de vida das pessoas. Conheço a realidade de São Luís e da sua população e apresentamos solução para os problemas da nossa cidade.

O nosso apoio vem das ruas e é com a força da nossa gente que seguiremos firmes para construir uma cidade melhor. Encaro com seriedade a grande responsabilidade que é ser pré-candidato à Prefeitura de São Luís e, além disso, eleger o maior número possível de vereadores nas próximas eleições para fortalecer o Legislativo municipal”, disse o professor e deputado Wellington.

Na mesa, mais amigos do que nunca, estavam o senador Roberto Rocha (PSDS) e o deputado federal Eduardo Braide. Rocha e Braide já haviam se encontrado um dia antes, no evento do Podemos, em São Luís.

Julinho reafirma pré-candidatura a prefeito de São José de Ribamar

Em vídeo divulgado na segunda-feira (21), o ex-prefeito Dr. Julinho (PSDB), aparece ao lado do senador Roberto Rocha (PSDB) e do ex-deputado federal Waldir Maranhão (PSDB). O médico confirma a condição de pré-candidato a prefeito de São José de Ribamar.

Em recente pesquisa, o ex-prefeito aparece em situação melhor que a do atual prefeito Eudes Sampaio (PTB), que detém a maior rejeição entre os pré-candidatos a prefeito.

Durante o encontro, Roberto Rocha destacou a busca por uma nova gestão, moderna e eficiente.

O encontro também contou com a participação de outros tucanos, dentre eles o presidente da JPSDB, Marcos Frazão, que explicou o motivo pelo qual Julinho ainda não aparece no quadro do partido. “Já foi feito o envio, mas o TSE faz duas atualizações por ano. Estamos aguardando, mas está tudo ok”. Explicou.

A explicação se deu porque no início de outubro, o blog Ribamais, mostrou que segundo o TSE, Julinho e Júlio Filho seguiam no MDB, partido que terá Edson Júnior como candidato.

Dr. Julinho filia-se ao PSDB e será candidato pelo mesmo partido que elegeu Luís Fernando em 2016

O ex-prefeito de São José de Ribamar, Dr. Julinho, oficializou na noite desta segunda-feira (16), sua filiação ao PSDB-45, mesmo partido que elegeu Luís Fernando (sem partido) em 2016.

Com prestigio, Julinho recebeu a cúpula dos tucanos em sua  própria residência. O ato de filiação contou com a presença do vice-presidente estadual do PSDB, Clodomir Paz; do ex-deputado federal Waldir Maranhão (PSDB), e do presidente estadual da Juventude do PSDB, Marcos Frazão, pré-candidato a vereador, além de militantes.

Frazão, que coordenou a Juventude Tucana na campanha vitoriosa de Luís Fernando foi peça fundamental na articulação que levou o médico a se filiar no PSDB.

Com eleitorado fiel e sem problemas na justiça eleitoral, Julinho é o único pré-candidato a prefeito que  já foi testado nas urnas, o que deve esquentar ainda mais a disputa pelo comando da terceira maior cidade do Estado.

Saída pela porta dos fundos

A filiação do ex-prefeito Dr. Julinho ao PSDB acontece seis meses após a saída do ex-prefeito Luís Fernando (sem partido), que deixou o partido pela porta dos fundos, após renunciar ao mandato pela segunda vez.

Enfrentando umas das maiores reprovações populares diante de uma gestão pífia, com protestos populares quase que diários, Luis Fernando desistiu de governador a terceira maior cidade para ser auxiliar do governador Flávio Dino (PCdoB). Sua saída de São José de Ribamar coincidiu com a saída do PSDB.

 

Dr. Julinho assume PSDB Ribamarense no lugar do ex-prefeito Luís Fernando e será candidato em 2020

Além de Julinho, o ninho tucano deve receber Julio Filho, que deverá disputar uma vaga para o legislativo ribamarense

O ex-prefeito de São José de Ribamar, Dr. Julinho Matos deve assumir a presidência do partido nos próximos dias. A notícia já era dada como certa há alguns dias e foi confirmada na tarde desta terça-feira (13), pelo presidente da Juventude do PSDB, Marcos Frazão.

O partido obteve vitória em 2016, quando teve como candidato o ex-prefeito Luís Fernando Moura da Silva (sem partido), que também presidiu o diretório municipal e após dois anos de crise e caos administrativo na cidade balneária, desistiu de concluir o mandato e renunciou no inicio do ano.

A mudança de comando  no ninho tucano é inusitada, já que Julinho e Luis Fernando são adversários históricos, e na batalha, Julinho sempre saiu derrotado, na maioria das vezes através de ações judiciais que tornaram o médico inelegível em algumas disputas.

Candidato a prefeito em 2020

Em contato com o blog, Marcos Frazão confirmou que o PSDB terá Julinho como presidente, o que deve acontecer em cerimônia nos próximos dias.

De acordo com o jovem, Julinho não só será o novo presidente como também será candidato a prefeito.

“Obtivemos alguns números que nos dão a certeza de que Julinho é o melhor nome para a disputa. Sobre a questão de estar ou não elegível, é preciso dizer que Dr. Julinho é ficha limpa e em 2016 não pode ser candidato porque perdeu o prazo para se desincompatibilizar da função pública que exercia, o que não acontecerá agora.” Destacou Frazão.

Além de Dr. Julinho, que teve sua pré-candidatura confirmada, já trabalham nos bastidores como pré-candidato a prefeito de São José de Ribamar, o ex-deputado estadual Jota Pinto (Patriota), o vereador Nonato Lima (PDT), o presidente da Câmara Beto das Vilas (PV), o advogado Dr. Edson Jr. (MDB) e o prefeito, Eudes Sampaio (PTB), que carrega a maior rejeição entre os pré-candidatos.