Covidão: Ministério Público na cola do prefeito Ferdinando Coutinho

O município já recebeu mais de R$ 1 milhão de reais para combate ao Covid-19

Na semana em que a Policia Federal deflagrou a operação Cobiça Fatal, que desarticulou uma quadrilha e prendeu três empresários suspeitos de desviar recursos públicos federais que seriam usados no enfrentamento do novo coronavírus na capital, o Ministério Público do Estado do Maranhão segue o mesmo caminho no interior do Estado e recentemente imprensou o prefeito de Matões, Ferdinando Coutinho.

De acordo com documentos obtidos pelo blog Maramais, o Promotor de Justiça Renato Ighor Viturino Aragão, da Promotoria de Matões está investigando o destino de mais de R$ 1 milhão de reais, recurso que deveria ter sido usado exclusivamente no combate ao Covid-19. (veja aqui)

Segundo dados do Fundo Nacional de Saúde, no Matões recebeu R$ 77 mil reais no mês de março, R$ 73 mil reais no mês de abril e R$ 1 milhão de reais no mês de maio.

No final de maio, após inúmeras denúncias, o MP encaminhou ao Prefeito, esclarecimento sobre o destino dos recursos federais, notas fiscais dos produtos comprados e detalhamento do material entregue.

No site da prefeitura, há indicação de gasto de mais de R$ 339 mil reais, com suposta aquisição de veiculo de passeio, máscaras, cestas básicas e ventiladores pulmonares, no entanto, não há qualquer documento que comprove a contratação, nem a referencia das empresas contratadas.

Para confrontar as informações da gestão desastrosa do prefeito Ferdinando, a Promotoria de Justiça encaminhou ao Banco do Brasil, extrato bancário integral das contas do Fundo Municipal da Saúde, para saber exatamente o que está sendo feito com o recurso do Covid-19.

Outro detalhe que chamou a atenção da Promotoria de Justiça, é a discrepância dos casos notificados no Boletim Oficial da SES – Secretaria de Estado e pela Prefeitura do Município.

Segundo dados da SES, Matões tem até o momento apenas 27 casos confirmados e nenhum óbito. Já segundo dados da Prefeitura, são 120 casos confirmados e um óbito.

Vem coisa por aí…

O seu endereço de e-mail não será publicado.