Turma de Mangueira emociona público com história de Maria Firmina  

Fundada em 25 de dezembro de 1928, a Escola de Samba mais antiga do Maranhão, Turma de Mangueira, emocionou o público que compareceu no domingo de carnaval (23).

Penúltima escola a desfilar, mesmo com uma leve chuva, a Turma mostrou porque é favorita para faturar o título de campeã.

Itamilson Lima, presidente e carnavalesco da Verde e Rosa explicou que essa é a segunda fez que a Escola homenageia Maria Firmina. “Em 1977 a escola fez uma homenagem a Maria Firmina, contudo agora a gente faz um outro trabalho, que não é uma releitura. Vamos tratar da importância dela para literatura brasileira e é uma honra, pois a escola de samba é um espaço de resistência, sobretudo de resistência negra”, disse.

Com vasta paleta de cores, a Verde e Rosa contou a história da escritora maranhense Maria Firmina.

A força da mulher negra foi contada nos destaques da Escola, que contou vida e obra da romancista, além de grandes batalhas e conquistas do movimento negro.

Quem acompanhou, se emocionou com a beleza e detalhes das alegorias que tiveram entre seus destaques, o livro Úrsula.

O desfilie contou com a participação de moradores de Guimarães, município da Baixada Maranhense, onde Maria Firmina viveu boa parte de sua vida apesar de ser natural de São Luís.

Fotos: Carnaval do Maranhão