Esperantinópolis: Pedro Lucas reúne-se com representantes do Banco do Brasil

O deputado federal Pedro Lucas Fernandes (PTB) e o prefeito de Esperantinópolis, Aluisinho (PCdoB) se reuniram nesta quarta-feira (07), com o gerente da Diretoria de Canais do Banco do Brasil, Dalton Spadotto.

Durante a reunião, o deputado federal pediu mais celeridade para que a agência do Banco no município seja reaberta. O fechamento aconteceu em decorrência do assalto ocorrido no dia 31 de julho, quando bandidos explodiram o prédio.

Na reunião, Spadotto garantiu ao deputado que a agencia será reaberta no prazo máximo de 180 dias, quando está prevista a conclusão da recuperação total do prédio.

Pedro Lucas Fernandes garante asfalto para os dois maiores povoados de Esperantinópolis

Os moradores dos povoados Palmeiral e Bom Princípio, duas maiores comunidades rurais do município de Esperantinópolis estão em festas. Após esperarem por décadas, o sonho de ter a comunidade asfaltada virou realidade graças a parceria do prefeito Aluisinho (PCdoB) com o deputado federal Pedro Lucas Fernandes (PTB).

No último dia 27, em comemoração aos 65 anos de emancipação política do município, Pedro Lucas e Aluisinho entregaram a pavimentação do povoado Palmeiral, que conta com mais de 90% das ruas completamente asfaltadas.

A etapa de pavimentação do povoado Bom Princípio também já foi concluída e contemplou 100% das ruas da localidade.

O prefeito destacou a importância de Pedro Lucas para por fim a um tabu negativo do município.

“Você já faz parte da história de Esperantinópolis, e não é por receber o título de cidadão. Você faz parte por ajudar a quebrar um tabu, aquele de que o município de Esperantinópolis era o único no Maranhão que não tinha uma comunidade com um palmo de asfalto.” Destacou o prefeito.

Durante a inauguração, uma multidão caminhou junto com o prefeito e o deputado pelas ruas, agora, completamente asfaltadas.

Pedro Lucas também participou da entrega do Centro de Saúde, totalmente reformado, e na Câmara de Vereadores, em sessão solene, agradeceu o reconhecimento e o titulo de Cidadão Esperantinopense.

“Eu quero compartilhar essa homenagem. Quero dividir com toda cãoulação de Esperantinópolis. Eu sou mais um cidadão, que gosto de sonhar, e não é diferente do titulo que Esperantinópolis tem, a terra da esperança, e que a gente vai transformar agora em realidade.” Agradeceu o deputado

Mário Jorge e Dr. Raimundinho são condenados por dívidas de mais de R$ 2 milhões à Cemar.

Como resultado de Ação Civil Pública (ACP) por ato de improbidade administrativa ajuizada pela Promotoria de Justiça de Esperantinópolis, em 2014, os ex-prefeitos Mário Jorge Silva Carneiro (2005 a 2012) e Raimundo Jovita de Arruda Bonfim (2013-2016) foram condenados à suspensão de direitos políticos pelo período de cinco anos.

A sentença, proferida em 22 de maio deste ano, é da juíza Cristina Leal Meireles. O Ministério Público foi informado da decisão no dia 13 de julho. No dia 27, o atual titular da Promotoria de Justiça de Esperantinópolis, Xilon de Souza Júnior, se manifestou no processo contra embargos de declaração apresentados por um dos condenados.

A manifestação ministerial foi ajuizada, em 14 de outubro de 2014, pelo promotor de justiça Paulo Roberto Costa Castilho, que respondia, à época, pela Promotoria de Justiça.

DÍVIDA

A ação foi motivada por uma dívida da administração municipal no valor inicial de R$ 420.537,31, posteriormente transformado no valor de R$ 2.178.909,62 (incluindo multas), junto à Companhia Energética do Maranhão (Cemar), devido à falta de pagamento de contas no período de julho de 2012 a setembro de 2013.

Também foram citados como réus os ex-secretários municipais de Finanças Margarida Carneiro e Ardson Arruda. Entretanto, o Poder Judiciário não acolheu as acusações do MPMA em desfavor deles.

Durante as alegações finais do Ministério Público no processo, o promotor de justiça Xilon de Souza Júnior ressaltou que a falta do pagamento das contas deve-se à inércia dos quatro acionados, que deixaram de cumprir atribuições e ocasionaram um prejuízo ao erário municipal.

PENALIDADES

Além da suspensão dos direitos políticos, os ex-gestores também foram condenados ao ressarcimento integral dos danos causados ao erário e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, mesmo que por meio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, por cinco anos.

A sentença, proferida em 22 de maio, é da juíza Cristina Leal Meireles. O Ministério Público foi informado da decisão no dia