As ordens de Duarte Júnior contra a imprensa do Maranhão; Assessoria trama ataques com fakes

Novo vazamento de áudios do deputado estadual Duarte Júnior revelam como eram as ordens do então candidato a deputado estadual para parte de sua equipe, formada por servidores do Procon, agirem com batalhão  de perfis fakes contra a imprensa maranhense e à favor de sua campanha.

Autoritário, no áudio Duarte cobra rapidez, determina que é pra colocá-lo como vítima de perseguição do grupo Sarney e orienta o uso de perfis fakes, que ele cuidadosamente chama de “outras contas que por ventura vocês tenham”.

“Pessoal já fazem duas horas que saiu essa postagem aí no Imirante, eu peço que todos vocês, absolutamente todos vocês, comentem com aquele discurso lá que a gente combinou, que é perseguição.  É… é.. com as redes de vocês, com oooo, a outras contas que por ventura vocês tenham, comentem, falando que é uma perseguição; que não adianta bat.. perseguir; que o Duarte Júnior e o governador Flávio Dino que vão ganhar a eleições; que ele que tá comigo; tô com Duarte, hasteg tô com Duarte, bate, bate nessas hastegs tô com Duarte; é… que isso é perseguição dos Sarneys; e não sei o que, e tudo mais, aquele mesmo discurso que eu falei”, diz Duarte.

Em outro áudio, que contém o diálogo entre as supostas assessoras responsáveis pela Comunicação e pelo Jurídico, é revelada a trama e o esquema com perfis fakes contra o professor e blogueiro Hilton Franco, e que também pode ter acontecido contra outros membros da imprensa maranhense.

“O fake é pra isso mesmo, expôs o perfil, a gente cria outro, a gente tem que ter essa dinâmica.” Diz a responsável pela comunicação de Duarte, revelando como é feita a criação de perfis fakes para elogiar Duarte e “bater” em quem o crítica.

No diálogo com a assessoria de comunicação, a advogada questiona a estratégia de fazer comentários negativos com fakes no perfil do facebook do professor Hilton Franco, despreza o número de seguidores que o blogueiro tem e diz que comentários com fakes pode gerar mais repercussão.

“Mas o problema é a gente ficar gastando munição com esse cara aí, entendeu? Tipo, quem é Hilton Franco? Foi o que a gente falou lá, sei lá, o cara não tem nem.. não sei nem quantos seguidores ele tem. Aí até onde eu tinha visto não tinha nenhum comentário, aí vai entrar só a gente comentando e vai atrair mais comentário pra lá, pode ser que essa história morra aí, nesse comentário dele sem ninguém, entendeu? Sem ninguém dá repercussão.”

A jornalista rebate a defesa da advogada sobre o número de seguidores do Professor vítima dos ataques do batalhão fake de Duarte, diz que discorda em processar o blogueiro e mantém a defesa de seguir “batendo” na imprensa maranhense.

“Ele tem três perfis no facebook, tá cheio de gente, ele tá gastando toda a munição dele com a gente, ele tá vindo pra cima. E essa munição da gente aí, é uma munição que vai e volta, entendeu? É tipo um processo. De fato, eu não concordo em processar ele, porque tipo, é uma exposição fora de hora, mas a gente pode sim bater nele com isso.”

No último áudio, antes dos ataques contra a imprensa maranhense, a responsável pela comunicação do então candidato Duarte Júnior volta a alertar os servidores do Procon que faziam campanha obscura para o ex-presidente do Órgão de Defesa do Consumidor.

“Pessoal, só tomem cuidado quando forem responder, lembrem que vocês são servidores públicos, no caso de usarem suas contas, certo? Se vocês quiserem ser, éééé.. serem mais incisivos, vocês podem usar os fakes de vocês. “ Orienta a responsável pela Comunicação da campanha de Duarte.

As novas revelações, desta vez em áudios, reforçam os diálogos publicados na segunda-feira (17), que revelou possível jogo sujo na campanha de Duarte Júnior em 2018, contrariando posicionamento da assessoria, que disse tratar-se de nítida montagem.

Leia também:

Duarte Júnior declara guerra contra a imprensa Maranhense

Palhaçada assumida: Militantes fakes como combustível da nova política