Vereadores rejeitam empréstimo de R$ 60 milhões solicitado por Luís Fernando.

O município já recebeu, em menos de dois anos de mandato do prefeito Luís Fernando, quase meio bilhão de reais em repasses para as contas da prefeitura, no entanto, o prefeito ainda queria um empréstimo de R$ 60 milhões que poderia endividar o município  e complicar a vida dos próximos prefeitos.

A Câmara Municipal de São José de Ribamar deu mais uma prova de independência e responsabilidade com a população ribamarense, e frustrou os planos do prefeito Luís Fernando Moura da Silva (PSDB), de contrair empréstimo de R$ 60 milhões, que ficaria para os próximos prefeitos pagarem.

Em sessão plenária realizada nesta quinta-feira (22), a maioria dos vereadores rejeitou projetos de lei, de autoria do Poder Executivo, através dos quais o tucano solicitava autorização do Parlamento para contrair, junto a Caixa Econômica Federal, dois empréstimos que, juntos, somam a bagatela de R$ 60 milhões.

Os vereadores lembraram que o prefeito já recebeu mais de R$ 446 milhões de reais, e que com todo esse dinheiro, não precisaria de empréstimo para realizar obras.

Luis Fernando foi derrotado na Casa do Povo por nove votos contrários e sete a favor.

A maioria acompanhou relatório do presidente da Comissão de Constituição e Justiça, vereador Nonato Lima, que, em seu despacho, considerou como inapropriado, no atual momento de instabilidade econômica pelo qual passa o Brasil, seus estados e municípios, o gestor estar disposto a endividar São José de Ribamar desta forma, o que colocaria em risco as finanças da prefeitura e o bem-estar de futuras gerações.

No projeto de lei nº 1171/18, o prefeito solicitava R$ 30 milhões que, de acordo com ele, seriam empregados no programa Avançar Cidades, criado com o objetivo de pavimentar ruas e avenidas.

Já por meio do projeto 1169/18, o tucano pleiteava outros R$ 30 milhões que seriam investidos no programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (FINISA), instituído para o custeio de obras de infraestrutura urbana.

A posição dos vereadores foi amplamente aprovada pelos moradores da cidade balneária.

“Aqui em nossa cidade o prefeito está criando uma gestão de faz de contas. Ambulâncias alugadas, carros alugados, ônibus alugados, computadores alugados,impressoras alugadas, ou seja, quando terminar o mandato do prefeito, tudo voltará para os seus verdadeiros donos, empresas que lucram milhões em nossa cidade, e pior, a única coisa que Luís Fernando desejava deixar para o próximo prefeito era as parcelas do empréstimo de R$ 60 milhões feito por ele, que não se contém em já ter recebido quase meio bilhão de reais.” Destacou o estudante Fábio Luís.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *