Coronavírus: Aulas da UFMA serão suspensas por 30 dias

A decisão foi tomada durante reunião que aconteceu na manhã desta segunda-feira (16), com membros da Administração Superior da Universidade Federal do Maranhão e o Hospital Universitário.

Foi criado um Comitê Gestor de Crise, assim como um Plano de Contingência ao Covid-19, popularmente chamado de coronavírus.

Uma das medidas tomadas é a suspensão das aulas por um período de 30 dias, a partir desta terça-feira (17).

O reitor Natalino Salgado Filho deve oficializar as medidas através de portaria que será publicada ainda hoje. Até o momento, nenhum caso foi registrado no Estado

Em nota, UFMA atribui ao MEC, ausência de vagas para deficientes

A Assessoria de Comunicação da UFMA emitiu nota esclarecendo que apenas informa o número de vagas de cada curso, e a distribuição entre as cotas é feita automaticamente pelo sistema do Ministério da Educação.

A Universidade informou que os cursos que têm números de vagas reduzidos, não oferecem vagas para deficientes.

Mais cedo, o blog Maramais recebeu denúncias de estudantes maranhenses indignados, alegando que o Sisu não liberou vagas para deficientes para os cursos de Artes, Comunicação Social, Radialismo, Relações Públicas, Jornalismo, Física -bacharelado, Geografia – bacharelado, Geografia – licenciatura, Letras – espalho, francês e inglês e o curso de graduação em Química – bacharelado.

Confira a nota

A partir de 2017, a lei de cotas passou a incluir os deficientes de escola pública com um percentual de aproximadamente 24% para deficientes.

O Ministério da Educação passou a adotar outro método para o cálculo do percentual de deficientes, reduzindo, então, para 9%. Os cursos que têm o número de vagas reduzido, com a porcentagem baixa, não geram vaga para a pessoa com deficiência.

Estudantes maranhenses denunciam ausência de vagas para deficientes em cursos da UFMA

Estudantes maranhenses denunciam nesta quarta-feira (22), a falta de vagas no Sisu em alguns cursos da UFMA, destinadas especialmente para portadores de deficiência física, conforme previsto na Lei nº 13.409/2016.

De acordo com a denúncia, não há vagas para portadores de deficiências físicas para os cursos de Geografia e Jornalismo da UFMA.

O blog entrou em contato com a assessoria de comunicação da Universidade, que se prontificou em emitir nota esclarecendo a denúncia até o final do dia.