Vídeo: Neto Evangelista desmoraliza Duarte Júnior

Ao explicar detalhes sobre os projetos do Governo do Estado aprovados na Assembleia Legislativa na sessão desta terça-feira (03), que garantem isenção do IPVA e da taxa de renovação do licenciamento a taxistas e mototaxistas, o deputado Neto Evangelista (DEM), acabou desmoralizando o deputado Duarte Júnior (PCdoB), que, mirando a eleição do ano que vem, tentou tomar a paternidade dos projetos do Governador e faturar politicamente com as duas classes.

Sem citar o nome de Duarte em nenhum momento, Neto deu ênfase a origem do projeto, que segundo o deputado democrata, começou a ser debatido pelo Governador Flávio Dino (PCdoB) ainda em 2017, antes de Duarte ser eleito deputado estadual, e que não pôde ser encaminhado a Assembleia em 2018 em decorrência da legislação eleitoral, chegando a casa agora, a tempo de contemplar os mototaxistas e taxistas.

Com a informação correta, Neto Evangelista jogou um balde de gelo em Duarte, que usou a mídia para espalhar que o projeto era fruto de uma indicação de sua autoria.

Na rede social do próprio governador, autor do Projeto, Flávio Dino não faz nenhuma menção ao ex-presidente do Procon.

Flávio Dino não fez qualquer referência a Duarte Júnior, frustrando sua expectativa de faturar politicamente com a classe

No vídeo, Neto explica que o projeto Moto Legal garante anistia total dos juros e multas para motos com valor venal de até R$ 10 mil reais, e desconto de 50% a quem tem débito do IPVA referente aos anos de 2018 e 2017. O deputado explicou que de acordo com o projeto, quem deve anos anteriores a 2017, pagará uma taxa de R$ 30 por cada ano devido.

Sobre o benefício aos taxistas e mototaxistas, Neto Evangelista destacou que a ideia do governador Flávio Dino começou a ganhar corpo ainda em 2017, e que agora, taxi com capacidade de até 7 lugares e mototaxi de até 200 cilindradas terão a isenção do IPVA e da taxa de renovação do licenciamento.

Se o projeto nasceu em 2017, a tentativa de Duarte foi mais uma barrigada contra seu próprio “líder”.