Relatora do projeto de empréstimo de R$ 30 milhões justifica exclusão de bairros como Panaquatira

Relatora do projeto que visa autorizar o município a contrair empréstimo de R$ 30 mil milhões de reais, a vereadora Luciana Lauand, ganhou de presente, antes da sessão desta quinta-feira (25), a presidência municipal do Avante, partido que era presidido pelo vice-prefeito Júnior Lago. A jogada pode ter influenciado a decisão da parlamentar, que também tem o pai como Secretário Municipal.

Durante a sessão, a vereadora fez questão de afirmar que é moradora de Panaquatira, justificou porque é a favor da exclusão de bairros como Panaquatira e deu como exemplo, um hipotético empréstimo de R$ 1 mil reais.

“Sou moradora de Panaquatira, e as vezes o morador daqui não entende porque o bairro não entrou nessa programação das obras provenientes do empréstimo de R$ 30 milhões. Vou dar o seguinte exemplo, as vezes a gente tem R$ 1 mil reais para receber, e se recebermos de pouco, R$ 100, R$ 50 reais, no final, não fizemos nada e não sabemos para onde foi o dinheiro”, disse a parlamentar, justificando que é contra a contemplação das principais ruas de diversos bairros.

Para a parlamentar, é melhor fazer como o prefeito Dr. Julinho apresentou, contemplando apenas dois bairros.

Na lógica, mais de 100 bairros estão sendo excluídos de obras que poderiam ser feitas com o empréstimo.

Em tempo: Fora da pauta do dia, vereadores foram pegos de surpresa com a votação do empréstimo, que segue em votação durante mais uma sessão secreta, sem que nenhum ribamarense possa acompanhar online o que está sendo discutido.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *