Vereadores evitam endividamento e possível caos administrativo em São José de Ribamar

Os nove vereadores de São José de Ribamar, evitaram ontem (22), mais do que um empréstimo milionário nunca visto no município. Ao rejeitar dois projetos que pediam empréstimos de R$ 60 milhões, os vereadores, de forma responsável, evitaram que em um futuro próximo, o município operasse em caos, podendo causar inclusive atrasos nos salários dos servidores, fechamento de Unidades Básicas de Saúde; entre outros serviços.

Os vereadores Nonato Lima; Paulo Alencar; Moisés Gama; Negão; Valdo Coelho; Jô Viana; Serra Alta; J. Lindoso e Juliano Soares fizeram uma analise critica e detalhada do projeto, e constataram que o empréstimo traria uma divida mensal de quase meio milhão de reais para o município, e que deveriam ser pagos pelos próximos 12 anos, comprometendo a gestão dos próximos três prefeitos.

Pra se ter uma ideia, a vida útil das últimas ruas pavimentadas pela gestão do prefeito Luís Fernando durou no máximo dois invernos, já o empréstimo, duraria 12 anos, causando uma estagnação no setor da infraestrutura por mais de uma década.

Outro ponto avaliado foi a conjuntura política, já que o novo governo, do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) é uma incógnita, e que os especialistas no sistema financeiro sugerem que não é o momento de contrair empréstimo ou financiamento, até que sejam conhecidas as novas regras governamentais.

O vereador Paulo Alencar usou a tribuna para defender o voto contrário ao empréstimo. “Somos a favor das famílias ribamarenses, por isso, este não é o momento de contrair empréstimo para as próximas gerações.” Disse.

A maioria dos vereadores acompanhou o voto do relator Nonato Lima.

Secretários, assessores e funcionários comissionados espalham fakenews.

O empréstimo, tido por uma ala da população como eleitoreira, não foi bem digerido pelo prefeito Luís Fernando (PSDB), e a noite inteira e durante todo o dia desta sexta-feira, 23, servidores da prefeitura usaram as redes sociais para espalhar fakenews contra os vereadores que votaram contra o empréstimo.

Em blog anônimo e criminoso misteriosamente editado por dois assessores do prefeito e amplamente compartilhado pelo Assessor de Comunicação, uma notícia falsa tenta enganar a população, e passar a informação de que os vereadores votaram contra a execução de obras de pavimentação.

A verdade dos fatos é que os vereadores votaram contra o empréstimo de R$ 60 milhões, que renderia uma divida mensal de quase meio milhão de reais por 12 anos, o que poderia causar o endividamento do município, caos na administração pública, atraso em salários, fornecedores e até no oferecimento de serviços como Educação e Saúde.

No projeto de Lei enviado pelo prefeito Luís Fernando, o município autorizava a instituição financeira a debitar as parcelas automaticamente na conta que recebe o FPM, Fundo de Participação dos Municípios, que pode sofrer queda considerável a partir de janeiro, e causar caos administrativo no município.

Outro ponto que precisa ser levado em consideração é o volume de recursos recebidos pelo município durante os 23 meses de gestão do prefeito Luís Fernando, a cifra chega a quase meio bilhão de reais, o que, para qualquer matemático, não precisaria de empréstimos para pavimentação de ruas, que neste caso, ao votar orçamento anual, os vereadores sempre se mostraram a favor da pavimentação de ruas.

Exoneração em massa.

Logo pela manha, o recado chegou a servidores aliados dos vereadores que votaram contra. O prefeito, junto com o vice-prefeito Eudes Sampaio (PTB) preparam uma longa lista de demissão que deve começar a partir de segunda-feira.

Situação de pânico e temor aconteceu recentemente, logo após o prefeito sofrer derrotas nas urnas, em outubro deste ano.

Em tempos, o município vive um clima tenso, de perseguição e desumanidade.

Caso perseguição aos donos de Treilers: Luís Fernando x Vereadores

Vereadores tentam encontrar uma solução para permanência dos Treilers na Avenida Gonçalves Dias

A ação autorizada pelo Prefeito Luís Fernando Moura da Silva (PSDB), que resultou em notificação e prazo de 15 dias para retiradas de todos os treilers da Avenida Gonçalves Dias continua causando revolta na população da Sede do município, e pelo que tudo indica, os trabalhadores ganharam um reforço.

Hoje pela tarde, os vereadores do município se reuniram na Câmara em busca de uma solução para a não retirada dos treilers da Rua Grande. Participaram da reunião, os vereadores Negão, Valdo Coelho, Jô Viana, Serra Alta, Nádia Barbosa, Cristiano, Paulo Alencar e o presidente da Câmara, Beto das Vilas.

De acordo com os parlamentares, a ação seria um afronto a dezenas de pais de famílias que dependem diretamente renda conseguida nesses pontos comerciais.

Vários proprietários de Treilers foram notificados, e como nenhum documento oficial foi entregue pela prefeitura, o prazo de 15 dias para retirada continua valendo. ( Leia aqui )

Até o presente momento a prefeitura ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto.