Eleições 2020: Pesquisa aponta empate técnico em São João do Sóter

O Instituto MBO realizou pesquisa no município de São João do Sóter, para saber como está a corrida eleitoral pela prefeitura municipal e constatou empate técnico entre a atual prefeita Josa Silva e o pré-candidato Welington Moura.

De acordo com o resultado do levantamento no cenário induzido, se a eleição fosse hoje, obedecendo a margem de erro de 3,5% para mais ou para menos, Josa Silva estaria com 41,76% das intenções de votos. Empatado tecnicamente, aparece Welington Moura com 40,18%, diferença de apenas 1,58%.

Bem distante, em terceiro lugar, aparece o Dr. Tairo Rocha com apenas 11,83% das intenções de votos. 6,23% não sabem ou não quiseram responder.

Já no quesito rejeição, quando o eleitor diz em quem não votaria de jeito nenhum, Dr. Tairo Rocha lidera com 38,46% de rejeição. 27,81 afirmam que não votariam em Welington Moura e 26,92% garantem que não votariam na atual prefeita Josa Silva. 6,81% não sabem ou não quiseram responder.

O Instituto também quis saber como está a gestão da prefeita Josa Silva, e constatou que para 10,79% dos entrevistas, a prefeita está realizando um ótimo trabalho; 20,71% acham a gestão boa; 25,94% consideram regular; 30,61% avaliam como ruim e 11,95% consideram a gestão péssima.

O levantamento foi feito pelo M R Borges Serviços / MBO Publicidade, Marketing e Pesquisa, ouviu 446 pessoas entre os dias 04 e 06 de setembro, está inscrito com número MA-05799/2020, tem margem de erro de 3,5%  para cima ou para baixo e taxa de confiabilidade de 96,5%.

MP aciona ex-prefeita de São João do Sóter por irregularidades em convênios

O Ministério Público do Maranhão ajuizou três Ações Civis Públicas por atos de improbidade administrativa contra a ex-prefeita de São João do Sóter, Luiza Moura da Silva Rocha, e mais oito pessoas, além de duas empresas. As ações foram baseadas em três inquéritos civis que investigavam fraudes na execução de convênios entre Associações de Produtores Agrícolas e Rurais do município e a Secretaria Estadual do Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes).

Nos três convênios que motivaram as ACPs, o objetivo seria a melhoria e recuperação de trechos de estradas vicinais ligando os povoados às sedes dos municípios. A data de assinatura dos acordos também é a mesma: 3 de setembro de 2012. As três ações foram formuladas pelo titular da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de Caxias, Francisco de Assis da Silva Júnior. São João do Sóter é termo judiciário da Comarca de Caxias.

CONVÊNIOS

Firmado entre a Associação dos Produtores Agrícolas Vila Planalto e a Sedes, o convênio 48/2012 envolveu o montante de R$ 303.221,75 e teria como finalidade a recuperação de 22,4km de um trecho de estrada vicinal. Pelo acordo, a Secretaria Estadual repassaria o valor de R$ 288.060,66, enquanto a Associação ofereceria R$ 15.161,09.

Além da ex-prefeita Luiza Rocha, o MPMA processa, na primeira ACP, os representantes da Associação dos Produtores Agrícolas Vila Planalto, Leivinha Nogueira de Sousa e Maxinimo Francisco da Silva; a proprietária da empresa G Costa Carvalho, Guiomar Costa Carvalho Santos; e o representante da MLP Construções e Empreendimentos, Gilbran Karlil Costa Silva.

Segundo consta nos autos, enquanto Leivinha de Sousa foi o responsável pela assinatura do convênio, Maxinimo da Silva foi quem realizou todos os demais atos relativos à execução do objeto, como abertura de processo licitatório e pagamento das empresas.

O convênio 49/2012, entre a Associação dos Moradores e Produtores Rurais do Povoado Palmeirinha e a Sedes teve o valor total de R$ 542.329,54. Em tese, o acordo promoveria o melhoramento de 35,8km de caminho de acesso que beneficiaria 320 famílias em São João do Sóter.

Na segunda ACP são processados, além da ex-gestora municipal, o representante da Associação, Maurivan da Silva Lima; e o representante da Caxias Construções e Empreendimentos Ltda, Carlos Roberto Scudeller Júnior.

Na terceira ACP, relativa ao convênio 50/2012, a ex-prefeita Luiza Moura da Silva Rocha também é demandada, assim como seu marido e ex-secretário de municipal de Infraestrutura, Clodomir Costa Rocha; o representante da Associação dos Pequenos Produtores Rurais do Povoado Cabeceira 2, Marcio José da Silva Correia; e o representante da MLP Construções e Empreendimentos, Gilbran Karlil Costa Silva.

No convênio, de valor total R$ 223.884,99, a Sedes repassaria R$ 212.690,74 enquanto a Associação o montante de R$ 11.294,25. O objetivo do acordo seria a recuperação de estrada vicinal num trecho de 13,28km.

IRREGULARIDADES

Em relação ao primeiro convênio, 48/2012, o Ministério Público observou a existência de dois processos licitatórios para o mesmo objeto, sem que haja em qualquer deles informação sobre anulação de um ou outro. Além disso, a data de formalização dos procedimentos licitatórios é muito próxima, o que constitui indícios de que tais atos foram apenas para dar aparência de regularidade ao que não tinha.

Em relação ao convênio 49/2012, embora sem demonstração do cumprimento das obras e uso efetivos dos recursos, o presidente da Associação, Maurivan Lima, assinou relatório em que atesta 100% de sua realização. Observa-se que a “prestação de contas apresentada foi apenas uma formalização fraudulenta”, coloca o promotor Francisco de Assis.

No convênio 50/2012, também ficou comprovado de que não houve prestação de contas e a devida execução do objeto do acordo. O então secretário municipal de Infraestrutura de São João do Sóter, Clodomir da Costa Rocha, foi quem buscou a Associação e viabilizou a contratação, além de participar das fases seguintes, relacionadas à execução do contrato.

Nos três casos, a ex-prefeita Luiza Moura da Silva Rocha coordenou toda a celebração dos convênios com o Estado, para viabilizar o recebimento dos recursos, simulando a existência de um procedimento licitatório e utilizando-se do aparelho administrativo para simular a regularidade nos contratos.

PEDIDOS

Nas três ACPs, o Ministério Público requer, de forma liminar que seja determinada a indisponibilidade dos bens dos demandados até os valores totais dos convênios firmados. Além disso, foi pedida a condenação da ex-gestora municipal e de todos os outros oito envolvidos por ato de improbidade administrativa.

Entre as penalidades previstas estão o ressarcimento integral do dano, perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de cinco a dez anos, pagamento de multas de até duas vezes o valor do dano e de até cem vezes o valor da remuneração recebida pelo agente, além da proibição de contratar ou receber benefícios do Poder Público pelo prazo de cinco anos.

Vídeo: Veja o momento em que o matador de São João do Sóter é encontrado.

Marlon foi avistado hoje pela manha, durante busca realizada pela Policia Militar e a própria população, que buscava o assassino desde o momento em que Marlon assassinou três pessoas, durante uma festa de Arraial.

O homicida foi encontrado em um matagal, pelo filho da ex-prefeita Luiza Rocha, que foi morto por Marlon antes de ser pelo pela população.

No vídeo abaixo, publicado em primeira mão pelo blog Maramais, dá pra vê o bandido morto. Ao revistá-lo, Policiais encontraram mais armas, que poderia ter resultado em mais mortes.

Veja o vídeo

São João do Sóter: Homem que matou três em Arraial, mata filho da ex-prefeita e é morto em confronto.

Marlon foi morto após fazer nova vítima em São João do Sóter

Urgente-   A redação do blog Maramais recebeu a informação de que o rapaz por nome Marlon, principal suspeito do triplo homicídio ocorrido em São João do Sóter, durante confusão em um arraial e que estaria escondido em um matagal, fez uma nova vitima.

De acordo com informações obtidas nas primeiras horas, populares e policiais procuravam o suspeito e ao encontrá-lo escondido, iniciou-se um tiroteio. Antes de ser morto, Marlon teria matado o filho da ex-prefeita Luiza Rocha, Tassio Rocha. A informação foi confirmada pela Assessoria de Imprensa da ex-prefeita..

Revoltados, populares teriam cortado o corpo de Marlon em vários pedaços.

Em instantes, atualizaremos as informações.

Postado às 7hs.

Secretário de Cultura e Vereador de São João do Sóter são executados em festa junina.

Três pessoas foram executadas durante o Arraial de São João do Sóter, município 413 km distante da capital São Luís. Dentre as vitimas, estão o Secretário de Cultura do município, Cícero Rocha e o vereador Totonho (PTN).
Durante a chacina, um terceiro homem foi executado. Segundo as informações, seria Júnior do Nasa.
Tudo teria começado após uma confusão envolvendo um Paredão automotivo, o que resultou no triplo homicídio.
A identidade do autor dos crimes não foi revelada, mas a policia já sabe que ele é morador do Povoado Porcos, zona rural do município.
Logo após a confusão que resultou nos homicídios, a população chegou a deter o homem responsável pelas mortes, e iniciou um linchamento. Policiais resgataram o criminoso e levaram para a UPA de Caxias.