Ribamar recebeu R$ 28 milhões só em janeiro; R$ 17,4 milhões só para educação

Eudes Sampaio debocha – “não se faz milagres com dinheiro”

Apesar de toda essa fortuna na conta da prefeitura ribamarense, o prefeito Eudes Sampaio (PTB) ainda não concedeu o reajuste de 12,84% fixado pelo Ministério da Educação para os profissionais da Educação Básica, direito que tem sido um desafio para os professores nos últimos três anos.

Todo esse dinheiro nos cofres da prefeitura ribamarense, já vieram calculados pelo governo federal para garantir o repasse aos professores no pagamento de janeiro, no entanto, o prefeito insiste em mantém uma política retrógrada.

Durante entrevista à rádio Mais FM, ainda no mês de janeiro, o prefeito tratou a classe dos professores com desdém e disse que não há lei que o obrigue a pagar o décimo quarto salário prometido por ele e pelo ex-prefeito Luís Fernando durante a campanha de 2016, e debochou. “Não se faz milagres com dinheiro”.

Desde 2017, o município já recebeu mais de R$ 320 milhões para serem investidos na Educação, números que podem ser consultado pelo cidadão através do site do Banco do Brasil.

Em Codó, o prefeito Francisco Nagib não pensou duas vezes. Por lá, o município recebeu em janeiro R$ 21,6 milhões. Desse total, R$ 16 milhões foram só para educação, e o prefeito fez o que determinou o MEC, garantiu reajuste de 12,84%.

Em Caxias, o prefeito Fábil Gentil arredondou os números e garantiu reajuste de 13% aos profissionais da educação, 0,16% a mais do que o determinado pelo MEC.

Já em Ribamar, os professores continuam sofrendo…

Jô Viana propõe ampliação da carga horária dos professores

O vereador Jô Viana apresentou durante a sessão desta quinta-feira (31), Indicação para que o Poder Executivo amplie a carga horaria dos professores de 20hs para 40hs semanais. De acordo com o parlamentar, a proposição atende ao pedido dos profissionais da categoria.

Jô Viana explicou que terão direitos a ampliação de jornada somente os professores que desejarem e comprovarem que já tem jornada ampliada na condição de GAJ.

“Essa é mais uma forma de reconhecer os relevantes trabalhos dos professores pelo nosso município. Garantir a ampliação no lugar da GAJ, é dar o reconhecimento real que o professor merece, sem que fique sujeito, todos os semestres, a ter ou não a GAJ autorizada.” Destacou o parlamentar.

O benefício, uma vez concedido pelo Poder Executivo, não dependerá mais de autorização da Secretaria de Educação, como acontece todos os semestres.

“No mês passado tivemos uma Indicação aprovada, solicitando ao Poder Executivo o pagamento do retroativo do reajuste de 2018. Com esse novo pedido, tenho certeza que refletirá no dia a dia do profissional da educação, pois quando se valoriza o profissional, o resultado é visto em seu trabalho.” Concluiu Jô Viana.

A indicação foi aprovada por unanimidade e deve seguir para o Poder Executivo.

Veja também:

Jô Viana pede pagamento dos 46,67% referente retroativo dos Professores em 2018

Lascou! Secretária de Educação culpa Luís Fernando por redução nos vencimentos dos professores

Se não bastante todas as perdas da classe educacional imposta na gestão do prefeito Luís Fernando (PRB), que incluem entre tantas, o não pagamento do retroativo referente aos reajustes salariais de 2017 e 2018, além do não pagamento do 14º salário, prometido durante a campanha e garantido como uma das 10 primeiras medidas do governo, logo no inicio de 2017 (reveja), agora a classe sofreu mais uma derrota.

Professores que tem GAJ, contrato extra em sala de aula, tiveram redução salarial de 25%  sobre a dobra de 100%,  e redução de 15% para os casos de  dobra de 50%, tudo isso, de surpresa, nos vencimentos de fevereiro, pagos no inicio de março.

A redução dos salários revoltou os professores, que procuraram o Sindicato para mobilizar uma greve nos próximos dias.

Diante da crise, a Secretária de Educação, Joana Marques, emitiu nota complicando ainda mais a situação do prefeito junto à população ribamarense.

Joana atribui a redução da GAF que incide sobre o salário  ao prefeito Luís Fernando, que, segundo ela, inchou a folha com contratos comissionados, que contempla aliados do prefeito, ultrapassando o inacreditável marca de mais de 1400 contratados, o que está impossibilitando a prefeitura de pagar os professores. Para a secretária de Educação, a única saída foi reduzir os ganhos desses professores.

Professores prometem entrar com uma ação na justiça caso o prefeito não devolva o valor retirado indevidamente dos salários dos professores.

Confira abaixo, notas emitidas pela Secretária de Educação e pelo Sindicato.

Prezados Professores,

Comunicamos que a SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SÃO JOSÉ DE RIBAMAR – SEMED coloca-se a disposição para prestar esclarecimentos sobre a redução do percentual das GAJs na respectiva Rede Municipal de Ensino.

Esta iniciativa se deu mediante o descumprimento do Artigo 2º, § 4º da Lei 11.738/2008 que regulamenta o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica, como única medida emergencial possível a curto prazo para o equilíbrio das contas públicas do município que precisa arcar mensalmente com os salários de um número elevado de cargos comissionados, que já ultrapassam os 1.400 contratados, porém extremamente necessários para o bom desenvolvimento das tarefas diárias nas Secretarias e demais Repartições Municipais.

Os Professores que se sentirem prejudicados e quiserem maiores esclarecimentos, poderão se dirigir à SEMED no horário das 8h às 13h e das 15h às 18h, atualmente localizada ao lado da Caixa Econômica Federal, no bairro Outeiro (Estrada de Panaquatira), ou entrar em contato através do telefone 3224-6801 (SEMED) ou através do meu número pessoal 99616-2179 (Joana Marques).

Estarei respondendo também por mensagens de WhatsApp até às 23h de segunda a sexta e aos sábado até às 12h.

Atenciosamente,

JOANA MARQUES

SECRETÁRIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SÃO JOSÉ DE RIBAMAR-MA

Nota do Sinproesemma

INFORMATIVO

1. Tendo em vista a problemática envolvendo as GAJS, o Sindicato e a Semed fizeram uma reunião ocorrida em 07/03/2019.

A) Levantada a problemática da Gaj pelo Sindicato, a Semed irá fazer o estudo e irá encaminhar à Sempaf, para regularizar a situação. A Semed advertiu que o estudo pode não ser concluído até o dia 10/03 ( data que fecha a folha), se comprometendo em solucionar o problema no final de março.

B) O horário permanece o mesmo.

2. As progressões serão pagas na folha de março.

3. Os professores que deram entrada na promoção que não foram contemplados – os nomes já foram repassados para a Semed.

Coordenadora do núcleo Sinproesemma – São José de Ribamar

ILZA MARIA MORAES ALMEIDA

Professores protestam contra salários atrasados em Alcantara

Professores da rede municipal de ensino de Alcantara, voltaram a protestar contra salários atrasados. O movimento aconteceu nesta terça-feira, 29 e com faixas, professores caminharam até o prédio da prefeitura para cobrar o prefeito Anderson Wilker.

Segundo os professores, os salários estão atrasados há 60 dias e eles temem que o prefeito volte a parcelar os pagamentos em seis vezes, como fez no ano passado, quando pagou o salário de dezembro de 2017 parcelado em seis meses.

Além dos salários atrasados, os professores alegam que o pagamento do décimo terceiro foi feito após o último dia estabelecido pela legislação atual, o que acarretaria pagamento de uma multa de R$ 170 reais para cada servidor.

Por conta dos salários atrasados, comerciantes locais reclamam de prejuízos, já que o dinheiro deixa de circular na cidade.

Em vídeo publicado nas redes sociais, moradores cobram, além da regularização dos salários dos professores, melhores condições de infraestrutura, especialmente nas ruas e vicinais.

Veja o vídeo.

Começa amanhã, inscrições para Seletivo de Professores em São José de Ribamar.

A Prefeitura de São José de Ribamar recebe a partir desta terça-feira, 22, as inscrições do processo seletivo que irá preencher 197 vagas e formar cadastro de reserva em cargos de nível superior para lotação na Secretaria Municipal da Educação.

As vagas são para Professor Pedagogo – (Anos Iniciais – 1º ao 5º ano e Educação Infantil), Professor de Ciências, Professor de Educação Física, Professor Especialista em Educação Especial, Professor de Geografia, Professor de História, Professor de Inglês, Professor de Língua Portuguesa, Professor de Matemática e Professor Intérprete de Libras. O salário dos cargos será de R$ 2.992,67, por jornada de trabalho de 20 horas por semana.

Inscrição

As inscrições serão feitas via internet nos endereços eletrônicos www.fsadu.org.br e www.sousandrade.org.br das 10h do dia 22 de maio até às 18h do dia 04 de junho de 2018. O valor da taxa de inscrição é de R$ 80,00.

Provas

O certame terá provas objetivas e prova de títulos para todos, mais prova prática para Professor Intérprete de Libras. As provas objetivas serão aplicadas no dia 24 de junho, em locais e horários divulgados até o dia 13 de junho.

Os gabaritos preliminares serão divulgados no dia 25 de junho, pelos sites acima citados.

O prazo de validade do processo seletivo será de um ano, contado a partir da publicação oficial da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado desde que o prazo não ultrapasse dois anos.

Baixe o edital aqui.

Prefeitura de São José de Ribamar divulga edital para seletivo de professores.

A Prefeitura de São José de Ribamar recebe a partir do dia 22 de maio, as inscrições do processo seletivo que irá preencher 197 vagas e formar cadastro de reserva em cargos de nível superior para lotação na Secretaria Municipal da Educação.

As vagas são para Professor Pedagogo – (Anos Iniciais – 1º ao 5º ano e Educação Infantil), Professor de Ciências, Professor de Educação Física, Professor Especialista em Educação Especial, Professor de Geografia, Professor de História, Professor de Inglês, Professor de Língua Portuguesa, Professor de Matemática e Professor Intérprete de Libras. O salário dos cargos será de R$ 2.992,67, por jornada de trabalho de 20 horas por semana.

Inscrição

As inscrições serão feitas via internet nos endereços eletrônicos www.fsadu.org.br e www.sousandrade.org.br das 10h do dia 22 de maio até às 18h do dia 04 de junho de 2018. O valor da taxa de inscrição é de R$ 80,00.

Provas

O certame terá provas objetivas e prova de títulos para todos, mais prova prática para Professor Intérprete de Libras. As provas objetivas serão aplicadas no dia 24 de junho, em locais e horários divulgados até o dia 13 de junho.

Os gabaritos preliminares serão divulgados no dia 25 de junho, pelos sites acima citados.

O prazo de validade do processo seletivo será de um ano, contado a partir da publicação oficial da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado desde que o prazo não ultrapasse dois anos.

Baixe o edital aqui.

Vídeo: Professores vão às ruas em protesto contra governo Luís Fernando.

O prefeito Luís Fernando Moura da Silva (PSDB) enfrentou nesta quinta-feira, 10, mais um dia de pressão. Centenas de professores foram para a porta da Secretaria de Educação cobrar o reajuste de 6,81% que deveria ter sido concedido em janeiro deste ano. Em protesto, os professores percorreram as ruas do centro da cidade, até a prefeitura municipal, mas não foram atendidos pelo prefeito.

A atitude do Sindicato e dos professores, visa evitar prejuízos, como aconteceu no ano passado, quando Luís Fernando enrolou a categoria até o mês de agosto, causando prejuízos equivalentes a quase 50% de um salário da categoria.

Nenhum secretário da prefeitura recebeu os professores, que cobram outros direitos que não estão sendo cumpridos pelo prefeito, entre eles, promoções, progressões, difícil acesso, entre outras exigências.

No ano passado, professores ficaram esperando o 14ª salário prometido por Luís Fernando durante o período eleitoral, mas ficou apenas na promessa.

Os professores também cobram mais segurança nas escolas do município. No último final de semana, uma Creche que funcionava no Turiúba foi incendiada criminosamente.

Já na Escola Lêda Tjra, que funciona no bairro São Raimundo bandidos invadiram o prédio durante o dia, e fizeram um raspa nos professores, funcionários e alunos. “Foi um dia de terror! Depois desse dia, vivemos em pânico, porque a qualquer momento isso pode se repetir.” alertou uma professora.

Leia também: Enganados por Luís Fernando, professores anunciam greve em São José de Ribamar

Veja o vídeo:

Pressão! Luís Fernando enfrenta mais um protesto, desta vez foram os professores.

Luís Fernando enfrenta mais um protesto de insatisfação com sua gestão

Um dia após protagonizar cenas de confusão e bate-boca com moradores do Parque Jair, hoje (17),  o prefeito de São José de Ribamar, Luís Fernando Moura da Silva (PSDB),  enfrentou o descontentamento dos professores, que foram até a prefeitura protestar. Proibidos de entrar no prédio, dezenas de professores foram obrigados a ficar no sol quente.

Indignados pelo descompromisso e desrespeito da atual gestão, que ainda não pagou o reajuste de 7,64% do piso da categoria, concedido através de Lei Federal desde janeiro deste ano, dezenas de professores protestaram durante toda a manhã desta quinta-feira.

Com medo da revolta dos professores, o prefeito Luís Fernando pediu reforço junto a Guarda-Municipal, o que foi completamente desnecessário, já que o protesto era pacifico, como declarou a professora Adriana.

“Não queremos nada demais, apenas o reajuste garantido por lei. Engraçado que antes de ser eleito, o prefeito dizia que iria valorizar nossa categoria, e o que vejo é isso, somos obrigados, a maioria mulheres, a ficar nesse sol quente. A única coisa que não existe aqui é respeito.” Lamentou a professora.

Acostumados com as desculpas do atual gestor, uma professora ironizou. “E não adianta vir colocar culpa no ex-prefeito, por nós somos professoras, muito bem informadas. O ex-prefeito que você tanto condena, nos deu 77,37% de reajuste em seis anos, faça igual ele, pelo menos!” ironizou a professora Fabiana.

Dados oficiais mostram que o município já recebeu, só pra educação, mais de R$ 50 milhões este ano.

Até a presente data, segundo informações oficiais do Governo Federal, a prefeitura de São José de Ribamar já recebeu mais de R$ 54 milhões, recurso que deveria ser usado exclusivamente para a Educação. Mesmo assim, o prefeito insiste que o município não tem condições financeiras para pagar o reajuste.

De acordo com a diretoria do Sinproesemma, há condições financeiras sim, e além do pagamento do reajuste do piso salarial, de 7,64%, estão sendo cobrados outros direitos, como progressões/promoções e gratificação de difícil acesso.

São José de Ribamar: Professores cobram pagamento do reajuste salarial de 7,64%, concedido há oito meses.

Os professores da rede municipal de ensino de São José de Ribamar, iniciaram uma campanha independente nas redes sociais, para cobrar do prefeito Luís Fernando o cumprimento da lei federal que garantiu reajuste de 7,64% para os professores, desde de janeiro de 2017.

Campanha iniciada nas redes sociais, cobra do prefeito Luís Fernando, pagamento do reajuste de 7,64%, concedido há 8 meses.

Os professores de São José de Ribamar não estão nada satisfeitos com o prefeito Luís Fernando Moura da Silva (PSDB). De acordo com levantamento feito no Portal da Transparência do Governo Federal, mesmo já tendo recebido mais R$ 53 milhões pelo Fundeb – Fundo de Manutenção  e Desenvolvimento da Educação Básica e da Valorização dos Profissionais da Educação, o prefeito se recusa a pagar o reajuste de 7,64%, concedido em janeiro deste ano, através de lei federal.

No total, a classe dos professores já acumula um prejuízo de 61.12% em cima dos salários. De acordo com denúncias, o prefeito chegou a ser convocado para uma reunião no Sindicato, mas não compareceu na reunião que aconteceu no último dia 31.

“Tivemos uma reunião no dia 31, no sindicato. O prefeito Luís Fernando não foi, e mandou um funcionário com documentos que justificavam porque ele não deu nosso reajuste, entre eles, custos com Guardas no valor aproximado a R$ 500 mil reais por mês. Dinheiro da educação é pra educação, tá errado! Nosso advogado vai cobrar na justiça todas as irregularidades que estão sendo cometidas pelo prefeito, entre elas, o desconto ilegal das faltas dos professores que faltaram aos sábados”. Destacou um dos professores.

Durante pré-campanha, no Planeja Educação, Luís Fernando teria garantido valorização dos professores, mas agora faz o inverso.

Outra cobrança da classe é a progressão de dezenas de professores que, de acordo com a reunião, já estariam no ponto de ser aprovado, mas o prefeito também se recusa.

“Nosso advogado irá cobrar essas progressões na justiça”. Disse uma das professoras que está sendo prejudicada.