Vídeo: Após dormir na cadeia, prefeito de Brejo de Areia manda organizar carreata para comemorar liberdade

O prefeito do município de Brejo de Areia, Chico Eduardo (PSDB), foi solto nesta sexta-feira (11) após pagar fiança de R$ 10 mil reais. Chico Eduardo, que responderá em liberdade, foi preso na quinta-feira (10), após policiais do município de Santa Luzia encontrar uma arma de fogo e R$ 8 mil reais em um veiculo de propriedade do prefeito, que se divertia em um bar no município vizinho a Brejo de Areia.

Tentando ganhar dividendos políticos com o ato de prisão, o gestor mandou aliados políticos organizarem uma carreata, com combustível liberado, paredão de som e muita barulheira, no melhor estilo fanfarrão da política interiorana.

Em um verdadeiro ato político, Chico Eduardo tentou passar por vitima e se diz perseguido.

Resta saber agora, quem vai pagar a conta dessa farra toda para receber o político…

Entenda o que acontecerá com Lula caso STF negue habeas corpus hoje.

Mesmo com a derrota de hoje no STF,  Lula ainda não poderá ser preso.

Sérgio Mouro será o homem que mandará prender Lula

Se a maioria dos ministros do STF negarem o habeas corpus que evitaria a prisão do ex-presidente Lula. Mesmo com a decisão do Supremo, cabe a defesa de Lula, uma última cartada.

Embora o TRF-4 já tenha negado, no último dia 26, um recurso ao próprio tribunal contra a condenação, chamado embargos de declaração, Lula não foi preso por força de um salvo-conduto concedido pelo STF antes, no dia 22 de março, quando começou o julgamento do habeas corpus na Corte.

A defesa já manifestou intenção de apresentar um segundo recurso ao TRF-4 e tem até o dia 10 de abril para protocolá-lo.

Só  após a rejeição dessa nova apelação pela Oitava Turma do TRF-4, mesmo colegiado que julgou o processo, será considerada esgotada a jurisdição de segunda instância.

Feito isso, o TRF-4 enviará um ofício ao juiz federal Sergio Moro, que condenou Lula na primeira instância da Justiça Federal, comunicando a decisão. Nesse caso, caberá a ele mandar a Polícia Federal prender o ex-presidente.

 

Agora: 5 x 3 contra habeas corpus que evita prisão do ex-presidente.

Atualizado às 21h50: Até o momento, oito ministros votaram, sendo cinco contra a concessão do habeas corpus, e três a favor. O primeiro a manifestar seu voto foi o relator do caso, Ministro Edson Fachin, que votou contra o hc.

Em seguida, devido compromissos no exterior, Gilmar Mendes pediu prioridade para votar, e empatou, deixando o placar igual.

O terceiro ministro a apresentar seu voto foi Alexandre de Moraes, que votou contra o habeas corpus.

Luis Roberto Barroso criticou os infinitos recursos que nunca se esgotam, para votar a favor da jurisprudência que possibilita a prisão após condenação em segunda instância.

O quinto voto, proferido pela ministra Rosa Weber foi contra o habeas corpus, deixando o placar em 4×1, contra o hc que evitaria a prisão do ex-presidente.

Luiz Fux foi o sexto ministro a proferir voto e também foi contra o hc, o que torna a situação de Lula complicadíssima.

Toffoli e Lewandowski votaram a favor do hc, levando o placar para 5×3. Até o momento, oito ministros já votam.

Neste momento, Marco Aurélio lê seu voto.