Emenda Impositiva: Veja qual vereador votou contra a população de São José de Ribamar

Eudes usa o líder do governo para conseguir a rejeição do Projeto em segundo turno

No último dia 05 de setembro, os vereadores de São José de Ribamar aprovaram em primeiro turno a Emenda Impositiva. A proposta, que precisa ser aprovada em segundo turno, obrigará o Poder Executivo a realizar as indicações feitas pelos parlamentares, o que dará muito mais autonomia ao Poder Legislativo e garantirá benefícios para as comunidades ribamarenses.

Do jeito que está hoje, as indicações dos vereadores vão direto para a gaveta do prefeito, e acabam não saindo do papel, por isso, é comum ver um vereador repetir a mesma indicação por várias vezes, esperando sempre a boa vontade do prefeito.

“Aí está o problema, porque politicamente, o prefeito Eudes Sampaio (PTB) não quer que a emenda impositiva seja aprovada, pois assim, será obrigado a atender indicações dos vereadores independente da comunidade ou do lado político.” Revelou um vereador da base do prefeito, que votou a favor da criação da Emenda Impositiva.

Professor Cristiano, Lázaro e Marlene Monroe não assinaram a proposta e optaram por deixar o plenário na hora da votação

Durante a votação do dia 05, o líder de governo, vereador Professor Cristiano (SD) fez uma forte articulação para que a proposta não fosse aprovada, acabou sofrendo uma grande derrota junto com o prefeito.

Dos 17 vereadores, apenas o líder do governo, a vereadora Marlene Monroe e o vereador Lázaro não assinaram o documento assumindo o compromisso de votar a favor. Durante a sessão de votação, a vereadora Marlene sequer esteve presente, optando pela falta.

Atendendo pedido do prefeito, que determinou ao vereador Cristiano força-tarefa para barrar a aprovação, o líder do governo conseguiu convencer os vereadores Valdo Coelho e Serra Alta a deixarem a sessão, mesmo tendo assinado o documento se comprometendo em aprovar. Cristiano e Lázaro também deixaram o plenário.

Serra Alta e Valdo Coelho já haviam assinado o documento manifestando-se à favor da aprovação, mas alertados por Cristiano, deixaram o plenário na hora da votação

Mesmo com a pressão governista e ameaça de retaliação, a Câmara aprovou com 12 votos a favor e cinco abstenções, e agora precisa votar em segundo turno, conforme Lei Orgânica do Município.

Na manhã desta quarta-feira (11), o blog tomou conhecimento que o prefeito está convocando os vereadores da base e ameaçando cortes de supostos benefícios, entre eles, indicação de parentes para cargos com altos salários, caso os vereadores votem pela aprovação da emenda impositiva no segundo turno.

Dentre os benefícios estão indicações para cargos em comissão na Prefeitura, no Instituto de Previdência Municipal, contrato de locação de imóveis de parentes, dentre outros benefícios que iremos revelar logo após a votação, marcada para acontecer nos próximos dias.