Filha do prefeito Eudes Sampaio e Secretária de Educação podem ter sido candidatas laranjas do MDB

Naquele ano, de acordo com dados oficiais do site Meu Congresso Nacional, o partido da filha do prefeito recebeu mais de R$ 616 milhões em doações de empresas como a JBS, Odebrecht, Construtora OAS, Andrade Gutierrez, Cervejaria Petropolis, dentre outras.

A filha do prefeito de São José de Ribamar, Eudes Sampaio (PTB) pode ter sido usada como candidata laranja para preencher o número de vagas por gênero, na eleição de 2014, quando Eudes ainda pertencia ao grupo da ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

De acordo com documentos oficiais obtidos pelo blog Maramais, Camila Rodrigues Sampaio Nunes, na época funcionária comissionada do Governo do Estado, fruto de indicação do então secretário de Infraestrutura Luis Fernando, foi registrada como candidata a deputada estadual, para maquiar a exigência legal, obtendo míseros 13 votos.

Outra figura carimbada que aparece como suposta candidata laranja é a atual Secretária de Educação, Joana Marques, que na época também era Assessora do Governo Roseana.

Na disputa para ser Deputada Estadual do Maranhão, Joana se candidatou apenas como o nome Marques obteve apenas 2 votos, o que leva a concluir tratar-se de possível candidatura laranja, assim como a filha do atual prefeito de Ribamar.

O MDB, partido de Camila e Joana recebeu naquela eleição, mais de R$ 616 milhões em doações, a maioria fruto e empresas que ficariam conhecidas na Operação Lava Jato.

Em 2015 os membros do TRE-MA reprovaram por unanimidade as contas da filha do prefeito Eudes Sampaio, e alegaram, entre os motivos, ausência de extratos bancários. (veja aqui )

Recentemente o TSE decidiu que candidaturas laranjas levam a cassação integral da chapa envolvida. ( reveja )

Lascou! Secretária de Educação culpa Luís Fernando por redução nos vencimentos dos professores

Se não bastante todas as perdas da classe educacional imposta na gestão do prefeito Luís Fernando (PRB), que incluem entre tantas, o não pagamento do retroativo referente aos reajustes salariais de 2017 e 2018, além do não pagamento do 14º salário, prometido durante a campanha e garantido como uma das 10 primeiras medidas do governo, logo no inicio de 2017 (reveja), agora a classe sofreu mais uma derrota.

Professores que tem GAJ, contrato extra em sala de aula, tiveram redução salarial de 25%  sobre a dobra de 100%,  e redução de 15% para os casos de  dobra de 50%, tudo isso, de surpresa, nos vencimentos de fevereiro, pagos no inicio de março.

A redução dos salários revoltou os professores, que procuraram o Sindicato para mobilizar uma greve nos próximos dias.

Diante da crise, a Secretária de Educação, Joana Marques, emitiu nota complicando ainda mais a situação do prefeito junto à população ribamarense.

Joana atribui a redução da GAF que incide sobre o salário  ao prefeito Luís Fernando, que, segundo ela, inchou a folha com contratos comissionados, que contempla aliados do prefeito, ultrapassando o inacreditável marca de mais de 1400 contratados, o que está impossibilitando a prefeitura de pagar os professores. Para a secretária de Educação, a única saída foi reduzir os ganhos desses professores.

Professores prometem entrar com uma ação na justiça caso o prefeito não devolva o valor retirado indevidamente dos salários dos professores.

Confira abaixo, notas emitidas pela Secretária de Educação e pelo Sindicato.

Prezados Professores,

Comunicamos que a SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SÃO JOSÉ DE RIBAMAR – SEMED coloca-se a disposição para prestar esclarecimentos sobre a redução do percentual das GAJs na respectiva Rede Municipal de Ensino.

Esta iniciativa se deu mediante o descumprimento do Artigo 2º, § 4º da Lei 11.738/2008 que regulamenta o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica, como única medida emergencial possível a curto prazo para o equilíbrio das contas públicas do município que precisa arcar mensalmente com os salários de um número elevado de cargos comissionados, que já ultrapassam os 1.400 contratados, porém extremamente necessários para o bom desenvolvimento das tarefas diárias nas Secretarias e demais Repartições Municipais.

Os Professores que se sentirem prejudicados e quiserem maiores esclarecimentos, poderão se dirigir à SEMED no horário das 8h às 13h e das 15h às 18h, atualmente localizada ao lado da Caixa Econômica Federal, no bairro Outeiro (Estrada de Panaquatira), ou entrar em contato através do telefone 3224-6801 (SEMED) ou através do meu número pessoal 99616-2179 (Joana Marques).

Estarei respondendo também por mensagens de WhatsApp até às 23h de segunda a sexta e aos sábado até às 12h.

Atenciosamente,

JOANA MARQUES

SECRETÁRIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SÃO JOSÉ DE RIBAMAR-MA

Nota do Sinproesemma

INFORMATIVO

1. Tendo em vista a problemática envolvendo as GAJS, o Sindicato e a Semed fizeram uma reunião ocorrida em 07/03/2019.

A) Levantada a problemática da Gaj pelo Sindicato, a Semed irá fazer o estudo e irá encaminhar à Sempaf, para regularizar a situação. A Semed advertiu que o estudo pode não ser concluído até o dia 10/03 ( data que fecha a folha), se comprometendo em solucionar o problema no final de março.

B) O horário permanece o mesmo.

2. As progressões serão pagas na folha de março.

3. Os professores que deram entrada na promoção que não foram contemplados – os nomes já foram repassados para a Semed.

Coordenadora do núcleo Sinproesemma – São José de Ribamar

ILZA MARIA MORAES ALMEIDA