Polícia Federal investiga “esquema de fraude” no Censo Escolar 2017/2018 em Tutóia

O município faz parte da lista de 137 prefeituras investigadas pela PF e denunciadas pelo programa do Fantástico, que mostrou como o esquema funcionaria em Monção. De acordo com as informações, os demais municípios usariam o mesmo modus operandi

Desde domingo (03), quando o Fantástico tornou público o esquema de fraude no Censo Escolar de 2017 e 2018, com o objetivo de aumentar o número real de alunos matriculados e obter muito mais dinheiro nas contas das prefeituras maranhenses, o prefeito de Tutóia, Romildo do Hospital, tem ficado em alerta com a possibilidade de receber a visita de agentes federais na cidade.

O blog Maramais apurou que desde que Romildo assumiu a prefeitura em janeiro de 2017, Tutóia já recebeu mais de R$ 151 milhões de reais só de dinheiro do Fundeb, que deveriam ser usados exclusivamente na Educação do Município, segundo dados oficiais do Banco do Brasil.

De acordo com a reportagem do Fantástico, as investigações apontam que o golpe seria aplicado de duas maneiras: numa delas, os dados de pessoas reais são usados clandestinamente, inclusive com alguns alunos já falecidos. Outra fraude é a criação de alunos fantasmas.

A lista das 137 prefeituras, incluindo Tutóia foi revelada pelo jornalista John Cutrim.

Enganados por Luís Fernando, professores anunciam greve em São José de Ribamar.

Cinco meses após o anuncio do reajuste do Piso Salarial dos Professores, feito pelo MEC, e sem previsão para ser concedido em São José de Ribamar, o sindicato dos professores, Sinproesemma, temendo a repetição do que aconteceu em 2017, resolveu anunciar Paralisação da classe para o próximo dia 10, com concentração na Praça do Cruzeiro, no centro da cidade.

Além do reajuste de 6,81%, os professores estão exigindo outros direitos que não estão sendo cumpridos pelo prefeito, entre eles, promoções, progressões, difícil acesso, entre outras exigências.

No ano passado, após várias ameaças de greve, o prefeito Luís Fernando Moura da Silva (PSDB) concedeu o reajuste que deveria ser dado em janeiro, apenas em agosto, causando prejuízo correspondente a pelo menos 50% de um salário do ano, já que não foram pagos os retroativos com data-base do início do ano.

Reveja: Após 8 meses, sob ameaça de greve, reajuste é concedido, mas Luís Fernando não pagará retroativo dos professores.

A Educação no município vive um verdadeiro caos, e promessas de campanha até hoje não foram cumpridas. No ano passado, professores ficaram esperando o 14ª salário prometido por Luís Fernando durante o período eleitoral, mas ficou apenas na promessa.

Reveja: Alunos são obrigados a empurrar ônibus escolar após acidente em São José de Ribamar.

A situação é tão precária, que em dezembro do ano passado, alunos denunciaram que no Liceu Ribamarense, pais tinham que fazer vaquinha para comprar merenda escolar. (Reveja aqui.)

Já no Turiúba e Novo Miritiua, pais tiveram que passar a madrugada na fila, na tentativa de conseguir matricular seus filhos. (Reveja aqui)

Enquanto os professores lutam para garantir reajuste de 6,81%, o prefeito sancionou, no mês de abril, lei que lhe garante diárias de cerca de R$ 1.521,00, um verdadeiro tapa na cara dos educadores.

Além da educação, outro setor que tem sofrido nas mãos da nova gestão municipal é o da saúde. No início do ano, após a demissão em massa de centenas de ribamarenses e com salários atrasados, o SindSaúde-MA anunciou greve para a categoria. (Reveja aqui)

Veja também: Onda de protestos e bate-boca entre Luís Fernando e população

Parque Jair: “Conversem como gente que eu converso com vocês!” Esbraveja Luís Fernando contra pais de famílias.

J. Câmara: Loucura! Luís Fernando sai da linha e bate-boca com populares.

São José de Ribamar: Professores cobram pagamento do reajuste salarial de 7,64%, concedido há oito meses.

Os professores da rede municipal de ensino de São José de Ribamar, iniciaram uma campanha independente nas redes sociais, para cobrar do prefeito Luís Fernando o cumprimento da lei federal que garantiu reajuste de 7,64% para os professores, desde de janeiro de 2017.

Campanha iniciada nas redes sociais, cobra do prefeito Luís Fernando, pagamento do reajuste de 7,64%, concedido há 8 meses.

Os professores de São José de Ribamar não estão nada satisfeitos com o prefeito Luís Fernando Moura da Silva (PSDB). De acordo com levantamento feito no Portal da Transparência do Governo Federal, mesmo já tendo recebido mais R$ 53 milhões pelo Fundeb – Fundo de Manutenção  e Desenvolvimento da Educação Básica e da Valorização dos Profissionais da Educação, o prefeito se recusa a pagar o reajuste de 7,64%, concedido em janeiro deste ano, através de lei federal.

No total, a classe dos professores já acumula um prejuízo de 61.12% em cima dos salários. De acordo com denúncias, o prefeito chegou a ser convocado para uma reunião no Sindicato, mas não compareceu na reunião que aconteceu no último dia 31.

“Tivemos uma reunião no dia 31, no sindicato. O prefeito Luís Fernando não foi, e mandou um funcionário com documentos que justificavam porque ele não deu nosso reajuste, entre eles, custos com Guardas no valor aproximado a R$ 500 mil reais por mês. Dinheiro da educação é pra educação, tá errado! Nosso advogado vai cobrar na justiça todas as irregularidades que estão sendo cometidas pelo prefeito, entre elas, o desconto ilegal das faltas dos professores que faltaram aos sábados”. Destacou um dos professores.

Durante pré-campanha, no Planeja Educação, Luís Fernando teria garantido valorização dos professores, mas agora faz o inverso.

Outra cobrança da classe é a progressão de dezenas de professores que, de acordo com a reunião, já estariam no ponto de ser aprovado, mas o prefeito também se recusa.

“Nosso advogado irá cobrar essas progressões na justiça”. Disse uma das professoras que está sendo prejudicada.