Vereador de Ribamar vai à casa de Sarney, tieta Roseana e após pressão de Bira, diz que foi enganado.

Vereador Salis com sorriso amarelo ao lado de Flávio Dino e do seu padrinho Bira do Pindaré, e ao lado de Roseana com largo sorrio igual ao de quem ganhou R$ 1 milhão na mega-sena.

Parece piada de quinta categoria, mas o vereador Cássio Salis (PSB), do município de São José de Ribamar, através de sua assessoria, divulgou uma nota daquelas que podemos considerar a mais mequetrefe possível, tentando justificar o injustificável.

Após matéria do blog Maramais, publicada nesta quinta-feira, 19, e que pautou a maioria dos blogs da capital, onde revelamos com exclusividade a ida do pupilo do deputado Bira do Pindaré à casa do ex-presidente José Sarney (MDB), declarar apoio ao grupo da ex-governadora Roseana Sarney, sua assessoria e o próprio vereador Professor Cássio Salis, como gosta de ser chamado o ACE – Agente Comunitário de Endemias, depois de uma pressão e no melhor estilo “chantagem”, teria voltado atrás e anunciado que a foto onde é flagrado tietano Roseana e o irmão Zequinha Sarney não condizia com os fatos, e pasmem, o afobado vereador alega ter sido enganado pelo presidente da Câmara.

“Na verdade o que aconteceu foi que Beto das Vilas, que pertence ao mesmo partido de Sarney Filho e é aliado do clã, enganou a maioria dos vereadores que foram à reunião. Em momento algum ele comunicou que o encontro teria a presença dos filhos de José Sarney.” Diz a nota, sugerindo que Cássio Salis, que foi à mansão dos Sarneys, acertou apoio ao grupo e ouviu o que foi buscar, inclusive pousando para foto ao lado de Roseana e Sarney Filho, feliz da vida como se tivesse ganhado R$ 1 milhão na mega-sena, tenha sido enganado por Beto das Vilas.

O vereador, com toda sua expertise, após receber ligação do deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) ameaçando cortar suas regalias, tratou de espalhar nota em blogs da capital, e afirmar que seus candidatos na verdade são o próprio Bira do Pindaré (PSB), que tentará uma vaga na Câmara Federal, Rafael Leitoa (PDT), que tentará se reeleger deputado estadual e o governador Flávio Dino (PCdoB).

Sabido como Salis sempre foi, só omitiu seu candidato a senador, acertados com todos os pontos e vírgulas na mansão do Sarney.

Com a nota, o novato vereador pretende garantir, dentre outras coisas, a manutenção da indicação no IEMA de São José de Ribamar do qual já foi Diretor e na Fundação Sousândrade, que estão na mira do Ministério Público. Mas isso é assunto para outra matéria.

São José de Ribamar: Vereador denuncia descaso na saúde e privilégios de secretários municipais.

“Pra mim é uma vergonha, chegar numa unidade de saúde e ver aquelas filas imensas” desabafou o vereador.

Salis promete ir ao Ministério Público caso Luís Fernando não atenda sua indicação.

O vereador Cássio Salis (PSB), durante a sessão do último dia 16, fez graves denúncias contra a administração do prefeito Luís Fernando Moura da Silva (PSDB). De acordo com o parlamentar, mesmo sendo aliado do prefeito, assume o papel de aliado do povo em primeiro lugar, e afirma que se preciso for, irá ao Ministério Público oferecer as denúncias formalmente a justiça.

No primeiro momento, Salis fez uma indicação pedindo ao prefeito que amplie o número de exames laboratoriais no município, e fez questão de denunciar o descaso que o município está vivendo na atual gestão.

““Eu solicito que seja ampliado o número de exames laboratoriais,  hoje, uma vergonha, apenas 35 pessoas são atendias por mês, e isso em regime de urgência, em um alto grau de necessidade dessas pessoas. Eu não quero acreditar que ninguém que não tenha condições vai procurar um posto de saúde. Hoje temos gestantes, hipertensos, doentes crônicos, acamados, que estão praticamente chorando, implorando, para que tenha direito a saúde. Saúde é algo muito sério, que não dá pra se planejar pro futuro.” Denunciou o parlamentar.

Salis fez questão de dizer que faz parte do grupo do prefeito, mas entre o prefeito e o povo, sempre estará do lado de quem o elegeu. “Sou aliado do prefeito, mas sou aliado do povo, se preciso for, vou ao Ministério Público.” Ameaçou Salis.

Antes de concluir sua primeira participação, falou que sente vergonha de como as coisas estão acontecendo na saúde do município. “Pra mim, é uma vergonha, chegar numa unidade de saúde e ver aquelas filas imensas” desabafou.

Funcionários do primeiro escalão acumulam cargos no Governo do Estado

O vereador “aliado” do prefeito também demonstrou sua insatisfação com alguns privilégios de funcionários do primeiro escalão. Segundo o parlamentar, existem vários funcionários que acumulam cargos no Governo do Estado.

Conversamos com o vereador que confirmou a denúncia, e sugeriu que o blog fosse atrás de mais coisas. “Investigue, você é bom nisso!”  Instigou o vereador.

Na Câmara, o comentário é que o vereador foi chamado pra uma conversa pessoal com o prefeito, pois falou de mais durante a última sessão.

Ouça o áudio abaixo

Bomba: Justiça manda Policia Federal concluir inquérito em que vereador de Ribamar é suspeito de praticar estelionato

A decisão, publicada no Diário Oficial do último dia 30 de outubro, foi  proferida pela juíza Dra. Ana Cristina, da 47ª Zona Eleitoral, em São José de Ribamar.

De acordo com a magistrada, o Departamento da Policia Federal tem 120 dias para concluir o Inquérito em que o vereador Professor Cássio Salis (PSB), também conhecido como Salis da Kiola, é investigado por suposta pratica de estelionato, crime tipificado no artigo 171 do código penal brasileiro e o artigo 299 do Código Eleitoral.

Pelo crime de Estelionato, a pena é de um a cinco anos, já do artigo 299 do Código eleitoral, que é dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita, tem pena de reclusão de até quatro anos.

Após a conclusão do Inquérito, o Ministério Público deverá se manifestar. Confira a decisão na íntegra, clicando aqui.

Até o fechamento da edição, tentamos contato com o vereador, sem sucesso.