“Esmagados” por Flávio Dino marcam presença em ato de Eduardo Braide

A presença de dois ex-candidatos derrotados na eleição de 2018, pelo grupo do governador Flávio Dino (PCdoB), chamou atenção na última sexta-feira (29), durante ato de filiação do deputado federal Eduardo Braide ao Podemos.

Estavam por lá, os tucanos Zé Reinaldo Tavares e Roberto Rocha, que foram praticamente esmagados nas urnas, quando saíram humilhados, em sexto lugar com pouco mais de 3% na disputa pelo Senado, e em quarto lugar, com pouco mais de 2% na disputa pelo Governo, respectivamente.

Agora, os dois tentam voltar ao Poder, pelo Podemos, na onda de Braide, que em todas as pesquisas aparece em primeiro lugar na disputa pela prefeitura da capital, que pode ser um trampolim para o Governo do Estado, em 2022,

Para isso, o PSDB  terá que rifar o pré-candidato a prefeito Wellington do Curso (PSDB), que aparece em segundo lugar, de acordo com as últimas pesquisas, e que segue reafirmando que será candidato.

Nos bastidores, é cada vez mais forte a informação de que Roberto Rocha estaria forçando um namoro entre o PSDB e o Podemos, para emplacar o filho Rocha Júnior como vice, na chapa de Braide.

No sábado (30), a convite de Rocha, Braide esteve no evento do PSDB, o que reforçou ainda mais os rumores de traição a Wellington.

Braide descarta filiação ao PSL

Em conversa rápida com o editor do blog Maramais, o deputado federal eleito Eduardo Braide (PMN) descartou a sua ida para o PSL, partido do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Braide explicou que neste momento iniciou-se as conversas entre os lideres do PMN e do PHS, que caminham para uma fusão numa tentativa de sobrevivência, já que não atingiram a cláusula de barreira e ficarão sem tempo de tv e sem acesso ao fundo especial partidário, principal oxigênio dos partidos.

O presidente nacional do PHS, Eduardo Machado também iniciou conversação com pelo menos mais dois partidos nanicos, PRP e PPL.

A manifestação de Braide se deu após tomar conhecimento de matéria publicada pelo jornalista Glaucio Ericeira em seu blog, que informou que o convite foi feito pelo presidente estadual da sigla no estado, o vereador Chico Carvalho, que falou ao vivo durante o programa Ponto e Vírgula, da rádio Difusora FM, nesta segunda-feira, 29.

Braide confirmou o convite mas descartou qualquer possibilidade de filiar-se ao PSL. “O Momento é muito delicado, e não há possibilidade de irmos para um partido governista.” Concluiu o deputado.

São Luís 2020: Braíde encolhe, Jerry quer, Duarte surpreende, Eliziane sonha, Wellington despenca e PDT decide.

Os resultados das urnas deste ano estão cheios de sinais que remetem para as eleições de 2020, e diferente do que muitos acreditam, Eduardo Braíde (PMN), apesar de ter sido o mais bem votado na capital, resultado do recall eleitoral de 2016 e do voto de oposição aos grupos de Dino e Roseana, encolheu consideravelmente.

Em 2016, quando disputou a prefeitura de São Luís com Edivaldo Holanda Jr. (PDT), Braíde saiu com 243.591 votos. Agora, em comparação ao resultado de 2016, perdeu quase 50% do seu eleitorado, o que corresponde a 112 mil votos que optaram por não votar novamente em Braide.

Geralmente, o eleitor fiel ou voto consolidado repete a mesma marca em eleição municipal e estadual, como o que aconteceu em Codó. Em 2012, quando foi reeleito prefeito, Zito Rolim obteve 45,35% dos votos validos. Agora, candidato a deputado estadual, recebeu na cidade, 56,56% dos votos validos, o que deixa claro a fidelidade do eleitor, totalmente diferente do que aconteceu com Braíde em São Luís.

Marcio Jerry quer ser prefeito de São Luís.

Não é segredo pra ninguém e cada vez mais o assunto toma corpo nas rodas de conversa sobre o desejo de Marcio Jerry em disputar a prefeitura de São Luís. Agora, deputado federal eleito, o presidente do PCdoB deve “jogar o jogo” para tentar ver seu nome crescer dentro do seu grupo, que já tem uma fila grande, e derrubar aliados como o vice-prefeito Julio Pinheiro (PCdoB) que também quer e o Secretário de Educação Felipe Camarão (DEM), tido entre os analistas, como o nome preferido do Governador Flávio Dino (PCdoB) para a disputa com Braíde, que também tem agora tem outro “preferido” na lista, eleito pelo PCdoB, trata-se do fenômeno de votos Duarte Jr. (PCdoB).

Duarte Jr. surpreende, atropela Wellington e entra na vitrine.

Com mais de 45 mil votos só na capital, Duarte saí na frente dos companheiros de partido e passa a ser visto como possível candidato a prefeito genuinamente comunista. De uma só tacada, o ex-diretor do Procon, que é homem de confiança do Governador, conseguiu ser eleito e ainda baixar consideravelmente o eleitorado de Wellington do Curso, já que disputavam votos com o mesmo perfil de eleitor.

Na disputa com Jerry, Duarte leva mais uma vantagem, sua votação foi quase 300% superior em comparação com a do deputado federal eleito.

Eliziane sonha.

Quem sonha em voltar a disputar as eleições municipais de São Luís é a senadora eleita Eliziane Gama (PPS), que agora conta com um trunfo a mais, tem como primeiro suplente o deputado federal Pedro Fernandes (PTB), que assumiria o lugar de Eliziane no Senado Federal em uma eventual vitória.

Aliás, esse trunfo na verdade pode ser um presente de grego, já que todos sabem que o sonho de Pedro Fernandes sempre foi o comando da capital e pode, assim como Edivaldo Holanda pai, realizar o sonho através do filho, Pedro Lucas Fernandes que conta com forte articulação entre a classe politica da capital, em especial vereadores e o próprio prefeito Edivaldo Holanda Jr. (PDT).

Neste pleito, Pedro Lucas contou com o maior número de apoio da Câmara e viu seu nome saltar na capital, pulando de 9 mil votos em 2016 para 32.825 na eleição deste ano, o que corresponde a um crescimento de 260% do seu eleitorado.

Mas dentre todos, o nome da evangélica é o que menos anima, principalmente pelo fraco desempenho em 2016, quando ficou apenas em quarto lugar, perdendo inclusive para Wellington do Curso, outro que viu sua votação despencar em 2018.

Wellington perde 83% do seu eleitorado.

Sensação nas eleições de 2016, quando viu sua votação ultrapassar a marca de 100 mil, WR caiu na real em 2018, e viu seu real tamanho, pouco mais de 17 mil eleitores na capital, uma queda gigantesca de mais de 83% dos votos. Com essa constatação, o rei das redes sócias deve esquecer o sonho, pelo menos por enquanto.

 PDT decide.

Dono de um time de ouro, o PDT conta hoje com o próximo presidente da Câmara de São Luís, vereador Osmar Filho; com o prefeito Edivaldo Holanda Jr; com sete deputados estaduais eleitos, sendo a maior bancada da Assembleia Legislativa e com o senador mais bem votado da história do Maranhão, o presidente do partido Weverton Rocha, que obteve mais votos do que o próprio governador Flávio Dino (PCdoB), por esses poucos motivos, o próximo prefeito de São Luís obrigatoriamente deve dialogar com a sigla, a menos que sejam adversários.

E nesse diálogo, também entrará em jogo o próximo governador, que certamente será do PDT.

“Está optando pelo que foi derrotado nas urnas, que é o governo do passado.” diz Flávio Dino, em relação ao rompimento de José Reinaldo.

Após confirmação do próprio Zé Reinaldo (sem partido), que caminhará junto com Eduardo Braíde (PMN), numa aliança na eleição de outubro, o governador Flávio Dino (PCdoB), visivelmente abatido e desmotivado, falou pela primeira vez sobre o rompimento do ex-aliado.

“Ele resolveu trilhar o caminho dele, é legitimo que o faça, lamento.” Disse o governador, que emendou, “Aqueles que optam pelo que foi derrotado nas urnas, que é o governo do passado.” Disse.

Indagado pelo repórter se a campanha será acirrada, o governador forçou um sorriso, e tentou  minimizar o clima tenso vivido no Palácio dos Leões nos últimos dias, respondendo que a campanha será tranqüila.

Flávio Dino está em Imperatriz, onde cumpre agenda política e participa de inaugurações.

Veja também:

Imagem do dia: Reunidos para derrotar Flávio Dino

Eduardo Braide flerta com Luís Fernando em busca de apoio rumo ao Governo do Estado.

Veja o vídeo: