Bia Venâncio diz que Luís Fernando cospe no prato que comeu.

A ex-prefeita do município de Paço do Lumiar, Bia Venâncio, resolveu manifestar-se e deu um pito no prefeito da vizinha cidade de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB).

Em um grupo de mensagens composto, na sua maioria, por apoiadores da pré-candidatura ao governo da emedebista Roseana Sarney, Bia repudiou afirmação do tucano que, em entrevista a uma emissora de rádio, na semana passada, classificou Flávio Dino (PC do B) como o governador que “mais olhou por Ribamar”.

“Sempre foi beneficiado com a ajuda do governo Roseana, sempre teve mais que a maioria dos prefeitos, mas preferiu trair sua amiga de todas as horas, cuspiu no prato que comeu. Se tiver algum pouco de gratidão e consciência, se arrependerá e se envergonhará desse ato medíocre. Que triste!”, disparou a ex-prefeita..

Nos anos de 2009 e 2010, Bia e Luis Fernando, que já estava no seu segundo mandato, chegaram a firmar parcerias institucionais entre suas respectivas gestões.

O tucano deixou a prefeitura ribamarense para assumir a Casa Civil do governo Roseana e durante três anos figurou como pré-candidato do grupo Sarney ao governo.

Abandonou a disputa no início de 2014, ano no qual Flávio Dino carimbou o seu primeiro mandato.

No ano seguinte, deus adeus ao sarneysismo, por onde exerceu diversos cargos no primeiro escalão do Palácio dos Leões, e tornou-se um dos principais aliados do comunista.

Com informações de Glaucio Ericeira

Ex-prefeita Bia Venâncio é condenada a sete anos de reclusão.

Como resultado de Denúncia oferecida pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA), a ex-prefeita de Paço do Lumiar, Glorismar Rosa Venâncio (Bia Venâncio), foi condenada a sete anos de reclusão em regime semiaberto.

A condenação é baseada em irregularidades verificadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) na execução de dois convênios no valor total de R$ 3.155.743,90, firmados em 2010, entre o Município e a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) para asfaltamento de vias do município.

Também foram condenados outros cinco envolvidos nas ilegalidades observadas nos convênios de nºs 34/2010 e 35/2010, cujas obras foram executadas pelas construtoras Construmar Maranhense Ltda. e Macedo e Xavier Ltda, respectivamente.

CONDENADOS

Os ex-secretários municipais de Orçamento e Gestão, Francisco Morevi Rosa Ribeiro e José Eduardo Castelo Branco de Oliveira, e o ex-titular da pasta de Infraestrutura do município, Pedro Magalhães de Sousa Filho, foram condenados a cinco anos e nove meses de reclusão.

O engenheiro civil e ex-chefe de obras e saneamento da Secretaria Municipal de Infraestrutura, Ronnie Santos Ribeiro, e o representante da construtora Macedo e Xavier Ltda, Arlindo de Moura Xavier Júnior, foram condenados a quatro anos e seis meses de reclusão.

Também denunciado pelo MPMA, o proprietário da empresa Construmar Ltda, José Umarly Torres Gomes, figura em processo separado. A empresa dele executou as obras referentes ao convênio nº 34/2010.

IRREGULARIDADES

Com prazo de execução de seis meses e valor de R$ 1.777.266,69, o convênio nº 34/2010 previa o asfaltamento de 36 ruas e uma avenida. O objeto do convênio nº 35/2010, de R$ 1.378.477,21, era a pavimentação de 20 ruas e três avenidas no período de quatro meses.

Nos dois acordos, foram constatados superfaturamentos de 119,35% e 61,7% nos contratos firmados, respectivamente, com as empresas Construmar Maranhense Ltda e Macedo Xavier Ltda.