Crítico de medida que proíbe aglomeração no carnaval, fez vista grossa na eleição

A polêmica gerada em torno de novas medidas adotadas pelo Governo do Estado, pelo Ministério Público e pelos municípios maranhenses, que visam evitar o aumento do número de casos de Covid-19, chamou atenção pela incoerência de alguns produtores de eventos que lucram alto com festas.

Durante a eleição, período em que atos políticos geraram grandes aglomerações, e que poderiam ser objeto de críticas e denúncias, os produtores, alguns que também atuam no ramo de notícia, como o produtor de eventos Jhonatha Kazuo, do perfil Acontece São Luís, “assistiram de camarote” os eventos políticos nos diversos interiores, e, calados ficaram, torcendo para chegar a vez dos shows lucrativos.

Logo após a eleição, uma implosão de eventos clandestinos passou a ser rotina, para alegria dos produtores que faturam alto com esse tipo de evento, e que continuaram acontecendo até as primeiras noticias do caos no Amazonas, quando o aumento do número de novos casos começaram a preocupar a sociedade.

Com os indicativos subindo, e com medidas de precaução e cancelamento do carnaval, os empresários que esperam lucrar alto nesse período, passaram a atacar os políticos e apontar eventos políticos.

O blog pergunta, aonde estavam esses críticos antes do cancelamento das festas de carnaval, que não viram as aglomerações nas eleições? Será que ficaram calados porque também estavam faturando com locação de trio e paredões? Porque só agora viram aglomerações no período eleitoral?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *