Áudios revelam a forma asquerosa e desprezível como Duarte Júnior tratava servidoras do Procon

Áudios do suposto grupo de app de mensagens denominado Os Vingadores, vazados na última semana, revelam a verdadeira face asquerosa e desprezível do deputado estadual e pré-candidato a prefeito de São Luís, Duarte Júnior (Republicanos).

No primeiro áudio, é possível perceber um Duarte Júnior nervoso, irritado, muito diferente daquele que é passado para o eleitor ludovicense, que prega a nova política, doce e educado.

O ex-presidente do Órgão de Defesa do Consumidor dá ordens para uma servidora do Procon “passe sabão”, termo que significa “dar uma mijada”, “uma cagada” ou uma “grande bronca”, em outra colega de trabalho.

“Rapaz isso aí só pode ser… hidrocefalia ou falta de.. de.. de.. de..massa cinzenta na cabeça rapaz, um negócio desse é loucura. Isso não existe. A pessoa tá de licença, tá morta ou tá de férias, muda o sistema, pelo amor de Deus. Caíssa, pega o telefone, liga agora para Desla, passa um sabão nessa mulher antes que eu me irrite bem aqui porque eu tô trabalhando, eu tenho que tá com quarenta coisas ao mesmo tempo, isso não existe, isso é loucura. Porque essa mulher não me mudou esse sistema rapaz.” Diz o então candidato a deputado, revelando que ainda mandava no Procon.

No segundo áudio, completamente fora de si, Duarte classifica o app do Procon como “uma droga” e ameaça quebrar o próprio celular.

“Rapaz, a mulher não consegue enxergar que o problema está no fato do atendimento no momento, no dia, na semana, não estar funcionando até as 19hs. Se não está funcionando até as 19h, o agendamento na droga do aplicativo do site não pode tá liberado para esse horário. Isso é loucura rapaz.. Alguém resolve isso aí. Caíssa resolve isso aí antes que eu quebre esse celular bem aqui.” Ameaça Duarte.

Até o momento, apesar do espaço garantido para explicações, o editor do blog não foi procurado pelo parlamentar para esclarecer os conteúdos dos áudios. Na primeira reportagem, a assessoria de comunicação de Duarte respondeu afirmando que os prints de diálogos era nítidas montagens, mas calou-se após divulgação dos áudios.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *