Jô Viana pede pagamento dos 47,67% referente retroativo dos Professores em 2018

O vereador Jô Viana (PSL) teve aprovada durante a sessão do dia 08, proposição que solicita ao Poder Executivo, que pague os valores devidos aos professores, referente ao período de janeiro a julho de 2018, quando o MEC autorizou reajuste de 6,81% no piso salarial dos profissionais da educação. Naquele ano, o reajuste só foi concedido pela gestão municipal a partir de agosto, causando prejuízo aos professores do município.

Durante seu pronunciamento, Jô Viana destacou a importância do professor para o desenvolvimento do município e reafirmou seu compromisso com a classe. “Temos nos empenhado para garantir mais educação de qualidade aos ribamarenses, e para isso, a valorização dos profissionais é essencial. Em 2017, o ex-prefeito Luís Fernando não concedeu o reajuste salarial de 7,64%, o que causou uma grande perda salarial aos professores e que agora já está na justiça. Essa minha proposição, é uma forma de darmos celeridade e evitarmos a morosidade do Poder Judiciário, por isso, sabendo que a gestão do prefeito Eudes Sampaio é uma continuação da gestão do ex-prefeito, é mais do que justo que de forma amigável, o prefeito conceda o pagamento do retroativo que representa quase metade do salário do professor em 2018.”. Destacou Jô Viana.

Para se ter uma ideia do tamanho do prejuízo, um professor que ganha R$ 5 mil reais por mês, teve prejuízo de mais de R$ 2.350 reais só com o não pagamento do retroativo de janeiro a julho de 2018.

O parlamentar também destacou que tem lutado para garantir o pagamento das Escolas Comunitárias, que tanto tem sofrido para se manter, e que são de fundamental importância para a educação, principalmente nos bairros mais distantes.

Jô Viana alertou para outros prejuízos que a educação ribamarense vem sofrendo. “Durante a campanha de 2016, o ex-prefeito Luís Fernando e o atual prefeito Eudes Sampaio garantiram aos professores que iriam incluir o pagamento do 14º salário aos educadores, e nós vamos nos juntar a esses profissionais para lutar por esse benefício.” Disse Jô.

De acordo com a representante do Sinproesssema, os professores aguardam uma posição do prefeito Eudes Sampaio referente aos 46,67% de perdas de 2018, referente ao retroativo do reajuste de 6,81%, e que os prejuízos de 2017, que já foi judicializado, e aguarda a atual gestão para um possível acordo.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *