Eudes Sampaio sofre mais uma grande derrota em São José de Ribamar

Emenda impositiva foi aprovada em primeiro turno, por todos os vereadores presentes e agora precisa ser votada em segundo turno.  Se aprovada, o prefeito Eudes Sampaio será obrigado a executar indicações que usem emendas parlamentares, não podendo mais, simplesmente engavetar indicações importantes para a população.

Na última sessão da Câmara de Vereadores, que aconteceu na quinta-feira (05), o prefeito Eudes Sampaio (PTB), que detém a maior rejeição do eleitorado ribamarense dentre os pré-candidatos na corrida eleitoral do ano que vem, sofreu mais uma grande derrota. Desta vez, os vereadores aprovaram em primeiro-turno a emenda impositiva, que garante certa autonomia e execução de indicações dos parlamentares.

Durante a sessão de apreciação da proposta todos os vereadores presentes votaram a favor, garantindo a aprovação absoluta dos vereadores que votaram. O líder do governo, vereador Professor Cristiano, contrariando o desejo da população, conseguiu convencer os vereadores Lázaro; Valdo Coelho e o vereador Serra Alta a se retirarem do plenário para não votar, o que foi considerado um ato de afronto as comunidades que clamam por ações.

Valdo e Serra Alta, inclusive, já haviam assinado o documento demonstrando desejo em aprovar a proposta, mas, alertado pelo líder de governo que poderiam ser penalizados pelo prefeito, acabaram retirando-se do plenário.

Atualmente, apesar da boa vontade e de todo empenho em ajudar a população do município, a maioria das indicações dos vereadores, são engavetadas pelo prefeito, sempre com a desculpa de que não tem dinheiro, contrariando as informações públicas do Banco do Brasil que revelam que o município recebe quase R$ 20 milhões todo mês, sem contar com orçamentos extras de emendas de deputados, e outras, como o recebimento extra de mais de R$ 10 milhões, previstos para serem pagos em novembro.

A aprovação da emenda mostrou a falta de traquejo político do novato prefeito, e o desprestigio entre os vereadores aliados, que votaram pela aprovação da proposta.

No ano passado, esse mesmo projeto foi apresentado, mas o ex-prefeito Luís Fernando conseguiu articular a rejeição entre aliados.

Agora, a proposta apresentada estabelece regras sobre a execução orçamentária e financeira de emendas individuais dos vereadores na Lei Orçamentária Anual (LOA). Pelo projeto, o prefeito é obrigado a realizar os investimentos previstos pelas emendas parlamentares.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *