Após dois dias de protestos, prefeito Eudes se omite e moradores conseguem apoio na iniciativa privada

Os moradores do Parque Florêncio, em São José de Ribamar, promoveram dois dias de protestos fechando a Avenida Artur Carvalho, para chamar a atenção das autoridades para o estado de calamidade do bairro. Sem nenhuma posição da prefeitura, os moradores entenderam o perfil do prefeito Eudes Sampaio (PTB), que tem promovido uma gestão ditadora, a exemplo do ex-prefeito Luís Fernando.

Abandonados pelo Poder Público, de acordo com informações colhidas pelo editor do blog, foi na iniciativa privada que o líder comunitário Marcos Frazão, morador do bairro, conseguiu apoio.

“É preciso manter diálogo com quem pode resolver. A prefeitura não resolve! Conversei com o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto, que me informou que assim que for liberado um recurso, aquela área será recuperada.” Disse Marcos Frazão.

O jovem líder viabilizou outra solução, enquanto o Poder Público não inicia a recuperação. “Encaminhei oficio a empresa Canopus e mantive o diálogo com o engenheiro responsável pela empresa, porque essa área é de forte atuação da empresa, que também mantém a construção de um  empreendimento atrás do bairro. Sensibilizados, assim como já aconteceu em outra ocasião, a empresa se comprometeu em fazer uma operação tapa-buracos nas ruas do Parque Florêncio.” Explicou Frazão.

Os protestos causaram grandes transtornos a população que precisa transitar pela avenida bloqueada, importante via que liga os três municípios da capital, mesmo assim, a prefeitura não manteve nenhuma posição.

Em fevereiro, o prefeito Eudes, durante reunião com moradores da região, já havia endurecido, afirmando inclusive que “não há abandono” nos bairros. Veja o vídeo abaixo.

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *