Eleições 2020: Dino, de todos e de ninguém

O governador Flávio Dino (PCdoB), mostrou que se tornou um grande político de fato. Reeleito em 2018 com uma das maiores alianças partidárias da história do Maranhão, o governador jogou um balde de água fria em quem tentava vestir-se de Flávio Dino para a população.

Explico..

Em resposta ao jornal O Imparcial, o comunista afirmou que respeitará todos que o apoiaram em 2018, motivo pelo qual não terá candidato próprio, pelo menos no primeiro turno.

A decisão do governador foi um banho gelado nos pré-candidatos mais próximos, como o deputado Duarte Júnior (Republicanos) e o deputado federal licenciado Rubens Júnior (PCdoB), que tenta a todo custo, passar a ideia de que é o escolhido por Dino e Lula na capital.

Com o posicionamento, Dino deixa claro que não pedirá votos para um candidato especifico, mas claro, fará seus movimentos para que os adversários de Eduardo Braide empurrem as eleições da capital para o segundo turno.

Caso isso aconteça, claro, Dino vestirá a camisa do adversário de Braide.

Em 2018, Dino contou com apoio do PDT, PRB, PPS, PTB, DEM, PP, PR, PTC, PPL, PROS, AVANTE, PEN, PT, PSB, Solidariedade e do seu partido, o PCdoB, de onde deve partir seu candidato no segundo turno.

O seu endereço de e-mail não será publicado.