Contrariando tendência de retorno às aulas, São José de Ribamar mantém suspensão de atividades presenciais

Escolas sem aulas presenciais seguem abandonadas

O prefeito de São José de Ribamar, Dr. Julinho (PL), deu, em um único decreto, publicado no Diário Oficial desta segunda-feira (02), uma verdadeira aula de contradições e retrocesso. (Confira o decreto completo aqui)

Contrariando a tendência, que é o retorno gradual e hibrido das atividades presenciais, como ocorreu nas unidades do Estado, o prefeito ribamarense manteve a suspensão das aulas e demais atividades pedagógicas presenciais na rede pública até o dia 15.

No mesmo decreto, no parágrafo seguinte, o prefeito autoriza as Escolas privadas a manterem as atividades presenciais, de forma hibrida, revezando a turma em sua capacidade de 50%.

Ainda no mesmo decreto, mostrando falta de bom senso, Julinho também autoriza festas com publico de até 300 pessoas.

Ora, se pode ter festas, porque não autorizar o retorno das aulas presenciais dos alunos ribamarenses que já foram tão prejudicados nos últimos dois anos?

A explicação pode estar no aditivo de R$ 729 mil reais no contrato com a empresa Gema Serviços de Informática Eirelli, responsável por oferecer soluções pedagógicas virtual. (Veja aqui)

Além disso, uma visita rápida às escolas ribamarenses revela a situação de completo abandono dos prédios.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *