Alô MP: Exonerações e nomeações podem revelar esquema com ex-candidatos a vereador em Ribamar

O Ministério Público deve investigar um suposto esquema envolvendo ex-candidatos a vereador que faziam parte da gestão Eudes Sampaio (PTB), em São José de Ribamar.

Logo após as eleições, uma onda de exonerações e nomeações de candidatos derrotados, podem confirmar denúncias que vem sendo feitas pelo blog Maramais desde a fase de pré-campanha, quando servidores que disputariam vagas na Câmara, saíram e deixaram em seus lugares, parentes.

A prática, segundo juristas e especialistas em direito eleitoral, é uma forma de burlar a legislação, cumprindo a desincompatibilização exigida por lei, mas mantendo os benefícios, inclusive financeiros, para os aliados políticos.

Um dos casos, envolve o ex-candidato Edgar Nojosa, derrotado no dia 15 de novembro.

Conforme denunciado pelo blog MeInformo, na reportagem Escândalo! Candidato a vereador em Ribamar, deixou irmã em seu lugar com salário de R$ 11 mil reais, a irmã de Edgar, que é técnica de enfermagem, ficou em seu lugar, e recebeu em um único mês, a quantia superior a R$ 11 mil reais.

Pagamentos feitos a Edgar Nojosa em agosto, antes de sair e deixar a irmã, passam de R$ 14 mil reais.

O blog apurou no portal da transparência, que Edgar Nojosa recebeu só no mês de agosto, antes de sair do cargo para e cumprir a legislação e ser candidato,  o valor de R$ 14.355,56.

Tela dos pagamentos feitos a irmã de Edgar Nojosa no mês de setembro. Proventos passam de R$ 11 mil reais.

No mês seguinte, em setembro, quando já não fazia mais parte da folha de pagamentos da Prefeitura de São José de Ribamar, pois havia se desincompatibilizado do cargo para concorrer nas eleições de 2020, sua irmã, Emiliane Rabelo Inojosa Lima recebeu R$ 11.085,43 pela mesmo cargo do seu irmão.

Em outubro, a irmã de Edgar foi para o setor de Covid-19 e recebeu salário de R$ 7.580,00

Em novembro, após derrota do irmão, Emiliane Inojosa recebeu o mesmo valor de salário.

A nomeação de Emiliane para substituir o irmão candidato aconteceu no diário publicado no dia 25 de agosto. Curiosamente, no dia 24 de agosto, Emiliane publicou propaganda do irmão, informando que o mesmo seria candidato a vereador.

No dia 30 de novembro Emiliane foi exonerada e no dia 01 de dezembro seu irmão Edgar Inojosa voltou a ocupar o cargo no qual havia deixado a irmã enquanto cumpria a tal da “desincompatibilização”.

O Ministério Público agora deve investigar esse afastamento com substituição de parentes.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *